Covid-19: Madagáscar anuncia vacinas e limita comunicação sobre pandemia

Madagáscar anunciou hoje a chegada, dentro de duas semanas, de vacinas contra a covid-19, numa altura em que o Governo tenta controlar a informação sobre a pandemia, que matou quase 200 pessoas num mês.

Covid-19: Madagáscar anuncia vacinas e limita comunicação sobre pandemia

Covid-19: Madagáscar anuncia vacinas e limita comunicação sobre pandemia

Madagáscar anunciou hoje a chegada, dentro de duas semanas, de vacinas contra a covid-19, numa altura em que o Governo tenta controlar a informação sobre a pandemia, que matou quase 200 pessoas num mês.

Madagáscar anunciou hoje a chegada, dentro de duas semanas, de vacinas contra a covid-19, numa altura em que o Governo tenta controlar a informação sobre a pandemia, que matou quase 200 pessoas num mês.

“As vacinas contra a covid-19 chegarão dentro de quinze dias”, anunciou hoje, na televisão, o ministro da Saúde, Jean Louis Rakotovao Hanitrala, sem especificar a quantidade de doses.

As vacinas são a Covishield, o imunizante da Oxford-AstraZeneca produzido na Índia, a Pfizer/BioNtech, a chinesa Sinopharm e a Johson&Johnson, disse, adiantando que estas primeiras doses se destinam ao pessoal de saúde e da polícia.

Madagáscar registou 9.896 novos casos de coronavírus num mês, com 194 mortes.

“Precisamos de uma nova estratégia e organização para enfrentar este inimigo invisível”, admitiu, no domingo, o Presidente Andry Rajoelina, numa altura em que o Estado tem vindo a colocar cada vez menos ênfase nas virtudes do chá anti-covid Covid Organics à base de artemísia, lançado há um ano.

Ainda assim, o remédio natural mantém-se no protocolo para tratamento em hospitais e está a ser gratuitamente distribuído à população juntamente com medicamentos como o paracetamol. Hotéis e escolas estão a ser requisitados para acomodar pacientes covid-19, uma vez que os hospitais estão saturados e com escassez de oxigénio.

Por outro lado, o Governo está a controlar rigorosamente a comunicação sobre a pandemia.

Nos hospitais, apenas os funcionários do Ministério da Saúde ou os meios de comunicação escolhidos são autorizados a filmar nas enfermarias de covid-19.

“Não podemos permitir-lhe filmar por respeito aos direitos dos doentes”, responderam as autoridades a um pedido apresentado pela agência France-Presse (AFP).

No entanto, indica a AFP, a televisão pública transmite entrevistas diárias em hospitais com pacientes covid-19 que elogiam o trabalho do Ministério da Saúde.

Um decreto interministerial adotado na quinta-feira proíbe qualquer programa ou debate televisivo ou radiofónico “suscetível de perturbar a ordem e a segurança públicas”. No sábado e no domingo, a cidade de Tana estará totalmente confinada. Os transportes públicos, suspensos na sexta-feira à noite, só serão retomados na segunda-feira de manhã, uma medida que passará a ser aplicada todos os fins de semana.

Num ano de pandemia, Madagáscar registou 34.775 casos de coronavírus, incluindo 588 mortes, de acordo com o balanço oficial das autoridades.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS