Diretor regional de saúde ameaçou médicos que recusaram trabalhar no lar de Reguengos

José Robalo disse que ponderou a instauração de um processo disciplinar, tal como acontece a qualquer médico do SNS face à recusa de atividade.

Diretor regional de saúde ameaçou médicos que recusaram trabalhar no lar de Reguengos

Diretor regional de saúde ameaçou médicos que recusaram trabalhar no lar de Reguengos

José Robalo disse que ponderou a instauração de um processo disciplinar, tal como acontece a qualquer médico do SNS face à recusa de atividade.

O relatório da comissão de inquérito da Ordem dos Médicos mostra que os profissionais de saúde que denunciaram a falta de condições para a prestação de cuidados aos utentes do lar de Reguengos de Monsaraz onde morreram 18 pessoas foram ameaçados pelo diretor da Administração Regional de Saúde do Alentejo.

Segundo noticia o jornal Expresso, foram ameaçados com processos disciplinares.

José Robalo disse que ponderou a instauração de um processo disciplinar, tal como acontece a qualquer médico do SNS face à recusa de atividade.

Durante uma reunião, os profissionais de saúde “são informados pelo Dr. Robalo de que devem manter a prestação de cuidados no lar porque, caso contrário, incorreriam em processo disciplinar”, cita o mesmo jornal.

Em declarações à RTP, o diretor da Administração Regional de Saúde do Alentejo, José Robalo, disse que “qualquer profissional clínico que se recuse a tratar um utente no Serviço Nacional de Saúde pode ser alvo de um processo disciplinar”, acrescentando ainda que não sabia “se havia ou não condições” no referido lar. Reiterou que esteve no local duas vezes mas não viu os utentes.

LEIA MAIS O horror no lar de Reguengos de Monsaraz: Idosos desnutridos, desidratados e só de fralda

Impala Instagram


RELACIONADOS