Judite Sousa também tem algo a dizer sobre o caso de Cristiano Ronaldo

Judite Sousa recordou o passado de Cristiano Ronaldo e revela pormenores que precisam de ser clarificados em tribunal

A família de Cristiano Ronaldo tem sido o pilar do internacional português numa altura em que este enfrenta uma acusação de ter violado uma mulher. A mãe, Dolores Aveiro, tem recorrido às redes sociais onde pede uma corrente de apoio para Cristiano Ronaldo e mostra o seu desagrado perante as acusações.

LEIA MAIS:Der Spiegel diz que os documentos publicados no caso Ronaldo são autênticos

Para além da família, várias figuras publicas já reagiram à notícia e deixaram de mensagens de apoio a CR7.  Judite Sousa não foi exceção e recordou o passado o jogador.

«O que sabemos sobre Cristiano Ronaldo?”, começa por questionar a apresentadora da TVI, revelando alguns factos da vida do craque que são conhecidos a nível mundial.

«O que não sabemos?», volta a perguntar.

«Não sabemos em que circunstâncias se aproximou da norte-americana que o acusa de violação. Não sabemos se existiram relações sexuais forçadas ou não. Não sabemos se a versão do Der Spiegel, com múltiplos detalhes, é verdadeira ou não. Não sabemos porque é que existiu um acordo de confidencialidade mediante o pagamento de cerca de 350 mil dólares. Não sabemos se existiu algum contacto entre ambos ou entre advogados entre 2009 e 2018. Não sabemos qual é a defesa de Ronaldo. Não sabemos o que ele, os seus representantes – Gestifute e advogados – têm a dizer sobre a gravidade das acusações», lê-se como resposta.

A jornalista mostra-se ponderada quanto à sua opinião, no entanto deixa um recado: «Entre o que sabemos e o que não sabemos, talvez seja melhor ficarmos mesmo com as perguntas e não sermos nós a antecipar respostas. Até porque santos e santas sóno céu e mesmo essas é para quem acredita».

Documentos do alegado acordo de CR7 e Ka foram «manipulados»

Peter S. Christiansen, o advogado de Ronaldo, reagiu hoje à acusação de violação. Diz que o acordo não representa uma «confissão de culpa»

«Os documentos que supostamente contêm declarações do Sr. Ronaldo e foram reproduzidos nos media são puras invenções. Em 2015, dezenas de entidades (incluindo sociedades de advogados) em diferentes partes da Europa foram atacadas e os seus dados eletrónicos roubados por um criminoso cibernético.

«Hacker tentou vender tal informação e um meio de comunicação acabou irresponsavelmente por publicar alguns dos documentos roubados»
Esse hacker tentou vender tal informação, e um meio de comunicação acabou irresponsavelmente por publicar alguns dos documentos roubados, partes significativas dos quais foram alteradas e/ou completamente fabricadas. Uma vez mais, para que não haja dúvidas, a posição de Cristiano Ronaldo sempre foi, e continua a ser, a de que o que aconteceu em 2009 em Las Vegas foi completamente consensual.

Cristiano Ronaldo não nega que aceitou celebrar um acordo, mas as razões que o levaram a fazê-lo estão, no mínimo, a ser distorcidas. Esse acordo não representa de modo algum uma confissão de culpa», lê-se.

Fotos: Impala e reprodução Instagram

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS