Big Brother. Pedro Alves chora compulsivamente e pede para não ser julgado «por uma frase»

O tema da homofobia continua a ser debatido na casa mais vigiada do país. Cansados, os concorrentes revoltam-se contra o Big Brother.

Big Brother. Pedro Alves chora compulsivamente e pede para não ser julgado «por uma frase»

Big Brother. Pedro Alves chora compulsivamente e pede para não ser julgado «por uma frase»

O tema da homofobia continua a ser debatido na casa mais vigiada do país. Cansados, os concorrentes revoltam-se contra o Big Brother.

A sanção de Hélder Teixeira esteve outra vez em debate na tarde desta quarta-feira, 13 de maio. O programa da TVI voltou a abordar o tema, agora com as imagens e conversas da noite após a nomeação direta.

O Big Brother chamou os concorrentes à sala e, em direto, confrontou-os com os diálogos que aconteceram durante o jantar da passada terça-feira, nomeadamente as referências feitas por Hélder e Pedro Alves sobre casais homossexuais e a exposição de crianças à troca de carinhos entre os mesmos.  «Quero sinceramente acreditar que entenderam a mensagem que têm de passar aos portugueses», disse o Big Brother.

Depois de exibir as novas imagens da polémica, pede aos concorrentes em causa para se explicarem. «Para mim acho que é um assunto que está completamente encerrado», começa por dizer Hélder.

«Eu adoro estas pessoas [abraça Edmar], com todo o respeito. Se é homossexual, eu sou heterossexual. Eu respeito. Se temos uma mentalidade diferente, é na boa. Mas eu respeito. Estávamos super quentes e é um assunto encerrado. Vamos falar de outras coisas», pede o concorrente de Santa Maria da Feira, que pede desculpas «aos portugueses, ao mundo inteiro».

Edmar acaba por concordar com os colegas de casa, dizendo que também não gosta de ver demonstrações públicas de carinho, seja de heterossexuais, seja de homossexuais. «Há pessoas que se sentem desconfortáveis», afirma.

«Acho que isto está a tornar-se um bocadinho ridículo»

 

O momento mais emotivo e tenso dá-se quando chega a vez de Pedro Alves falar. O jovem de Penafiel que, no seu vídeo de apresentação, afirmou ser «um pouco homofóbico», revelou ter sido «assediado abusivamente» no passado. «Como algumas pessoas aqui sabem eu tive a coragem de falar no preconceito que eu sofri e depois fui confrontado com isso. Respondi de forma errada e jamais me enquadro no grupo de pessoas que são homofóbicas», começa por dizer.
A chorar compulsivamente Pedro afirma que distorceram as suas afirmações. «Se alguém se sentiu ofendido, peço as maiores desculpas. Não julguem por uma frase. Julguem pelo conjunto de atitudes», pede ainda o jovem de Penafiel. E, no final do seu discurso, faz uma declaração que, no mínimo, pode ser interpretada como uma crítica à produção do programa e à TVI.

«Quem devia estar a fazer esta pressão seriam outras estações televisivas para tentarem matar este programa. Criámos aqui uma boa equipa e se calhar está a doer a muita gente. Se calhar está muita gente a tentar arranjar o mínimo motivo, mas estão enganados», afirma Pedro.

Antes do final do programa, o Big Brother pede a opinião de Ana Catharina, que se remete ao silêncio, e de Sónia que não poupa nas críticas. «Acho que isto está a tornar-se um bocadinho ridículo. Eles estavam a ter uma conversa, não queriam ofender a classe de ninguém. Chega de focar no mesmo assunto», pede a feirante de Gaia.

Texto: Raquel Costa; Fotos: DR e TVI

 

Impala Instagram


RELACIONADOS