Ansiedade levou Bárbara Bandeira às urgências 4 noites consecutivas

Bárbara Bandeira partilhou com os fãs uma ida às urgências de um hospital. A cantora recorreu a esse serviço mais três noites

Ansiedade levou Bárbara Bandeira às urgências 4 noites consecutivas

Ansiedade levou Bárbara Bandeira às urgências 4 noites consecutivas

Bárbara Bandeira partilhou com os fãs uma ida às urgências de um hospital. A cantora recorreu a esse serviço mais três noites

Na madrugada de quarta-feira, 26 de agosto, Bárbara Bandeira viu-se obrigada a recorrer às urgências de um hospital da Grande Lisboa depois de se ter sentido mal. A cantora, de 19 anos, teve de ser submetida a tratamento intravenoso. Mais tarde, explicou nas redes sociais que a ‘culpa’ foi da «quantidade de stress» e da «ansiedade» que tem acumulado. «A verdade é que se passaram bastantes semanas e eu não liguei. Chegou ao ponto de o meu corpo dizer ‘calma’. Já estava numa fase de saturação», disse a jovem.

«Nunca tinha sentido nada parecido», assumiu ainda a namorada de Kasha (do grupo D.A.M.A), adiantando ainda que, além de dores de estômago, tinha tonturas e sensação de desmaio.

o entanto, depois daquela quarta-feira, Bárbara Bandeira regressou ao mesmo hospital nas três noites seguintes com os mesmos sintomas. «Ela continua com dores abdominais e já fez testes à covid e de gravidez. Deram ambos negativos», conta à NOVA GENTE uma fonte próxima da artista.

De acordo com o site dos hospitais CUF, a ansiedade é «caraterizada por sentimentos de tensão, preocupação, insegurança, normalmente acompanhados por alterações físicas como o aumento da pressão arterial e da frequência cardíaca, sudação, secura da boca, tremores e tonturas».

Bárbara Bandeira devastada com doença da mãe

Siara Holanda, a mãe da artista, descobriu no verão de 2018 que, na sua coluna, o «disco L5/S1 estava completamente desfeito, pressionando o nervo ciático» e impossibilitando, desta forma, a bailarina de se sentar ou até mesmo ficar em pé. «Comecei com fisioterapia para tentar fugir à operação, que seria definitiva, tendo de colocar parafusos na coluna. O que seria o fim da minha vida profissional na dança», desabafou.

«Uma máquina de tração puxava a minha coluna para tentar espaçar as vértebras e aliviar a pressão no nervo juntamente com medicação para a dor», revelou a mulher de Rui Bandeira, que se submeteu ainda a outro tratamento que viria a agravar o seu problema de saúde.

Texto: AFS; Fotos: Reprodução Instagram

 

Impala Instagram


RELACIONADOS