Ana Peneda Moreira Enviada especial da SIC para a Ucrânia conta história tocante: “A criança a chamar pelo pai”

Ana Peneda Moreira foi uma das jornalistas da SIC que rumou até à Ucrânia para relatar os acontecimentos do país que está em guerra com a Rússia. A enviada especial esteve à conversa com Júlia Pinheiro e contou uma história tocante

Ana Peneda Moreira Enviada especial da SIC para a Ucrânia conta história tocante: “A criança a chamar pelo pai”

Ana Peneda Moreira foi uma das jornalistas da SIC que rumou até à Ucrânia para relatar os acontecimentos do país que está em guerra com a Rússia. A enviada especial esteve à conversa com Júlia Pinheiro e contou uma história tocante

Ana Peneda Moreira rumou até à Ucrânia como enviada especial da SIC. A jornalista chegou “dez dias antes de a guerra começar” e assistiu ao início da invasão da Rússia, tendo sido depois forçada a abandonar o país por questões de segurança. Convidada por Júlia Pinheiro para contar o que viveu num país em guerra, Ana Peneda Moreira abriu o coração e confessou “a dificuldade de perceber a angústia das famílias separadas”.

VEJA AINDA
Criança ucraniana interrompe jornalista da CNN Portugal para abraçá-la [vídeo]

Tendo chegado à Ucrânia antes de o conflito começar, a jornalista viu Kiev como uma cidade cheia de vida que, de repente, se transformou em ruas vazias marcadas pela tensão e pelo silêncio. Há um som que Ana Peneda Moreira não esquece: “Eu comecei a ouvir sons de corvos”. A vida ficou suspensa: “No meio de todos os militares e dos civis, olhávamos para as pessoas e percebíamos para o que iam. Isso foi algo que foi crescendo ao longo dos dias, iam para a guerra, para a luta”.

“Questionas se algum dia se vão voltar a ver”

Após dias a dormir na garagem do hotel, com a comida a começar a escassear, a jornalista – tal como todos os profissionais de comunicação portugueses ali presentes – teve de abandonar a capital ucraniana. E foi no autocarro a sair da Ucrânia que Ana Peneda Moreira presenciou aquele que diz ser o momento mais tocante.

“Para mim, [este foi] o pior momento da viagem”, confessa. “Há uma criança que entra no nosso no autocarro, com uma mãe luso-ucraniana, e o pai, muito jovem, de 20 e poucos anos, fica. E a criança começa a chamar pelo pai. Confesso que já me sentia a despir essa frieza que temos de ter no terreno. Começas a pensar nas pessoas que conheces e questionas se algum dia se vão voltar a ver”, descreveu.

Esta “mãe com a criança de dois anos”, “uma mulher ucraniana que trabalha na União Europeia” e “ainda uma senhora ucraniana que pretendia encontrar-se com a mãe em Itália” saíram de Kiev no mesmo autocarro que a equipa da SIC.

No Instagram, Ana Peneda Moreira partilhou alguns retratos do que viu. Veja tudo na galeria.

Texto: Mariana de Almeida; Fotos: Reprodução Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS