Cristina Ferreira: «As pessoas não percebem por que vou para o estrangeiro com o meu filho»

«Hoje em dia é muito difícil ser a Cristina Ferreira. Sinto que existem implicações na vida das pessoas que me rodeiam. É sentires-te apenas confiante dentro de casa», contou a Daniel Oliveira

«Hoje em dia é muito difícil ser a Cristina Ferreira. Sinto que existem implicações na vida das pessoas que me rodeiam. É sentires-te apenas confiante dentro de casa», contou a Daniel Oliveira, no  no programa Alta Definição da SIC, a dois dias de se estrear naquele canal.

Quando questionada pelo apresentador sobre se existe, ou não, dificuldade em ser quem é, a nova aquisição da estação de Carnaxide revelou que «no início não era complicado» porque tinha uma vida para além da televisão, mas, hoje em dia, só em casa é que é ela própria. «Só em consigo ser Cristina dentro de casa e isso é difícil de lidar», confessou.

A «tímida» Cristina Ferreira, como a própria se intitula, destapa o pano sobre quem é quando está com os seus. «Na minha vida particular, eu sou muito calada, eu sou a que não canto, a que não danço, a que faço perguntas, a que não gosta de se maquilhar», revelou.

«Ele não sabe o que é ser filho de uma mãe que ninguém conhece»

«As pessoas não percebem porque vou para o estrangeiro com o meu filho. É para ser apenas a mãe dele», disse, sobre as viagens que faz com o filho Tiago, de 10 anos.

Tiago passou este ano para o quinto ano de escolariedade e a passagem da escola calhou com a mudança da apresentadora para a SIC. «No dia em que o vi entrar sozinho na escola, e vi que tinha 40 miúdos a chamar por mim, e ele teve de ir sozinho, nesse momento custou-me porque ele não pode ser um miúdo normal naquele dia», contou emocionada.

Foi a transferência do ano, um dos nomes mais falados em Portugal, Cristina Ferreira sabe as expetativas que as pessoas depositam nela, mas, também, sabe o que tem para dar. Neste momento, está «serena» e à espera da grande estreia, afiança a Daniel.

Quando era criança, Cristina Ferreira «brincava aos telejornais e fingia que apresentava o telejornal». No nono ano foi a grande decisão. Cristina quis mudar de escola sozinha porque não queria ficar no mesmo sítio para sempre. Foi para a escola de Loures que era mais próxima de Lisboa.

 

«Mesmo nos piores dias nunca perdi a vontade de fazer televisão»

A eterna menina da Malveira, continua «a preferir aquele lugar e a família sempre». «Eu não deixo de estar com eles. O que eles me dão é muito mais do que qualquer festa. Eles são o meu porto seguro. Eles sabem como eu sou», afirmou.

Estar em televisão foi a profissão que Cristina Ferreira escolheu, mas de uma coisa não se perdoa. «Fui eu que escolhi ter uma vida pública, e ter feito com as pessoas que estavam ao meu lado terem este escrutínio público. Eu nunca me vou perdoar», contou.

«Mesmo nos piores dias nunca perdi a vontade de fazer televisão. Só gostando de mim eu podia amar os outros e aproveitar o que vida me podia dar. E aí nunca mais ninguém me parou», terminou.

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Cristina Ferreira: «As pessoas não percebem por que vou para o estrangeiro com o meu filho»

«Hoje em dia é muito difícil ser a Cristina Ferreira. Sinto que existem implicações na vida das pessoas que me rodeiam. É sentires-te apenas confiante dentro de casa», contou a Daniel Oliveira