Joanetes são mais comuns em mulheres que usam saltos altos?

Os joanetes, patologia do pé mais comum na idade adulta afeta mais o sexo feminino do que o masculino. Mas será verdade que o uso de saltos altos contribuem para este problema?

Joanetes são mais comuns em mulheres que usam saltos altos?

Joanetes são mais comuns em mulheres que usam saltos altos?

Os joanetes, patologia do pé mais comum na idade adulta afeta mais o sexo feminino do que o masculino. Mas será verdade que o uso de saltos altos contribuem para este problema?

Os joanetes – também conhecidos como Hallux Valgus (HV) – são “a patologia do pé mais comum na idade adulta”, diz Fátima Carvalho, podologista. Afeta “mais o sexo feminino do que o masculino” e os estudos demonstram que a etiologia do HV “ocorre devido a um conjunto de fatores, nomeadamente alterações biomecânicas que proporcionam o desalinhamento do dedo grande do pé e, consequentemente, o desalinhamento dos dedos, o que pode levar a deformações nos outros dedos pela pressão intensa que exerce, sendo mais comum em pessoas que utilizam saltos altos“.

Além do uso de saltos altos, esta patologia “pode estar associada a um estado inflamatório aumentado resultante de certas doenças como artrite reumatóide, bursite e sinovite da articulação metatarso falângica.

joanetes, saltos altos
Fátima Carvalho, podologista

Os sintomas associados a esta patologia “manifestam-se localmente e estão associados a dor, inflamação, vermelhidão, sensação de ardor e dormência”. É possível diagnosticar esta patologia “através de uma observação simples e o grau de deformação das articulações através de uma radiografia”, explica Fátima Carvalho.

Numa fase inicial, o tratamento ortopodológico “é conservador, através da aplicação de uma ortótese plantar personalizada, desenvolvida com o objetivo de aliviar a dor e restabelecer a sua função”. Contudo, quando o quadro clínico não apresenta melhorias, a opção é “o tratamento cirúrgico”. Existem várias opções, “sendo necessária uma correta avaliação dos critérios clínicos e radiológicos por um podologista ou ortopedista especializado em cirurgia do pé”.

A cirurgia minimamente invasiva é cada vez mais utilizada para tratar os joanetes, pois “as suas vantagens são vastas, uma vez que existe menor ‘agressão’ dos tecidos e menor tempo de recuperação”. Para evitar chegar-se a este ponto, a podologista Fátima Carvalho sugere cinco cuidados para o surgimento desta patologia.

“1. Optar por calçado adequado tendo em conta a morfologia do pé;
2. Evitar usar saltos altos todos os dias, sendo que o salto recomendado é de 2 cm;
3. Optar por calçado com fivela de modo que o pé não escorregue para a frente;
4. Comprar sapatos preferencialmente ao final da tarde, visto que os pés tendem a inchar durante o dia;
5. Usar palmilhas ortopédicas.”

Impala Instagram


RELACIONADOS