Quais os países em que mais jornalistas morreram em 2022

Na guerra da Ucrânia morreram em 2022 oito jornalistas, mas não é o país invadido pela Rússia aquele em que mais repórteres perderam a vida a desempenhar a profissão.

Quais os países em que mais jornalistas morreram em 2022

Quais os países em que mais jornalistas morreram em 2022

Na guerra da Ucrânia morreram em 2022 oito jornalistas, mas não é o país invadido pela Rússia aquele em que mais repórteres perderam a vida a desempenhar a profissão.

A organização internacional Repórteres Sem Fronteiras contabiliza um total de 57 jornalistas e trabalhadores da comunicação social mortos no ano de 2022 no exercício da profissão, incluindo oito na Ucrânia. Além disso, registou pelo menos 532 presos, só até 14 de dezembro.

Para ler depois
As principais questões que os brasileiros querem que Lula resolva
As alterações climáticas são a menor das preocupações da população brasileira, que exige a Luiz Inácio Lula da Silva que resolva primeiro outras questões no Brasil (… continue a ler aqui)

O infográfico no final do artigo mostra os locais onde mais jornalistas foram mortos em 2022 (16 países dos não identificados tiveram uma morte cada). No México, as mortes de repórteres com vínculo direto ao exercício jornalístico representaram quase 20% do total mundial. Conforme detalhado pela Repórteres Sem Fronteiras.

Pelo menos “80 jornalistas mortos” em dez anos no México

“Pelo menos 80 jornalistas foram mortos em ligação ao seu trabalho no México nos últimos dez anos (incluindo 46 nos últimos cinco), apesar dos repetidos apelos da sociedade civil e de organizações internacionais para que o governo combata a violência mais efetivamente.” O relatório prossegue referindo-se ao assassinato da jornalista Lourdes Maldonado López, que, “em princípio, gozava de proteção (estatal) na Baja California” quando foi baleada fora de casa, em janeiro.

Voltando a atenção para a Ucrânia, agora o segundo país mais perigoso para os profissionais da comunicação social desde a invasão russa em 24 de fevereiro, de 2022, a organização conta 8 mortes até ao final de 2022. “Incluem Maks Levin, fotojornalista ucraniano baleado deliberadamente por soldados russos em 13 de março, de acordo com as conclusões de uma investigação da Repórteres Sem Fronteiras.” A própria Rússia tem atualmente 18 jornalistas presos.

Infographic: The Deadliest Countries for Journalists in 2022 | Statista

Statista

Impala Instagram


RELACIONADOS