Emigração portuguesa e as vivências nos palcos do teatro

Emigração portuguesa e as vivências nos palcos do teatro

Interesse que várias companhias e estruturas teatrais têm dedicado à identidade coletiva nacional resultam nas inúmeras peças levadas à cena pelo mundo.

Realidade incontornável na sociedade portuguesa, o fenómeno da emigração tem merecido cada vez mais a atenção de diversos campos de produção artística, como é o caso do Teatro, umas das principais manifestações artísticas, e um fenómeno cultural de enorme alcance na formação e desenvolvimento da cidadania. Em Portugal, ao longo da última década, é notório o interesse que várias companhias e estruturas teatrais têm dedicado a este elemento relevante da identidade coletiva nacional, como comprovam as inúmeras peças que têm sido levadas à cena inspiradas nas experiências e vivências da emigração.

Nós Somos os Rolling Stones assumiu-se como manifesto geracional sobre a emigração

Os exemplos são variados e perpassam o território nacional, na esteira da transversalidade do fenómeno migratório na sociedade portuguesa. No ocaso de 2011, por exemplo, o Teatro Municipal da Guarda (TMG), encetou um espetáculo sobre a odisseia da emigração lusa dos anos 60 para França, justificando então o seu diretor artístico a aposta no mesmo, pela atualidade da temática e a ligação muito forte da mesma com a região. Em 2014, ano em que a emigração portuguesa se manteve num patamar elevado, o Teatro Experimental do Porto, levou a cena no Auditório Municipal de Gaia a peça Nós Somos os Rolling Stones, que se assumiu como um manifesto geracional sobre a emigração de jovens lusos.

Novo paradigma da emigração portuguesa

Este novo paradigma da emigração portuguesa foi retratado no ciclo Migrações, que decorreu em 2018 no Teatro Maria Matos, em Lisboa, onde foi abordada a experiência de emigrantes portugueses em Great Yarmouth, uma pequena vila na costa leste de Inglaterra, através do espetáculo Provisional Figures Great Yarmouth, que tinha sido já apresentado no Reino Unido e no Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, no Porto.

A produção teatral Nas Entrelinhas da Emigração é um dos exemplos

Presentemente, ainda no fim-de-semana passado, a Casa da Cultura de Câmara de Lobos, na Madeira, acolheu a produção teatral Nas Entrelinhas da Emigração, que retratou as vivências de um emigrante na África do Sul, um dos principais destinos da emigração madeirense nas décadas de 60 e 70, que no próximo ano, em conjunto com a pérola do Atlântico, será palco das comemorações oficiais do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Daniel Bastos

Daniel Bastos

Do mesmo autor
Aníbal Morgado, o construtor da cidade de Guayana na Venezuela
O Futebol e os emigrantes portugueses


ÚLTIMOS ARTIGOS

Emigração portuguesa e as vivências nos palcos do teatro

Interesse que várias companhias e estruturas teatrais têm dedicado à identidade coletiva nacional resultam nas inúmeras peças levadas à cena pelo mundo.