Pode usar-se cannabis medicinal no tratamento ocular?

Pode usar-se cannabis medicinal no tratamento ocular?

A relação entre o consumo de Cannabis e a baixa transitória das pressões oculares.

Desde 1970 foram publicados vários estudos científicos que revelam uma associação entre o consumo de cannabis e uma baixa transitória das pressões oculares. Este efeito poderia então, hipoteticamente, ser benéfico em utentes com Glaucoma, uma doença caracterizada por uma lesão no nervo ótico e que tem como potencial causa a pressão intra-ocular elevada.
Esta lesão leva progressivamente a perda de visão periférica, podendo terminar em cegueira irreversível.

Pode utilizar-se cannabis medicinal como tratamento?

Fica então a pergunta: Se a cannabis reduz a pressão intra-ocular, e a pressão elevada é, em alguns utentes, a causa de glaucoma, pode utilizar-se cannabis medicinal como tratamento? Não! A cannabis, apesar de induzir uma baixa de pressão intra-ocular, não é um tratamento adequado para o Glaucoma, quer pela sua reduzida eficácia e duração, quer pelos efeitos laterais. O efeito redutor da pressão intra-ocular após o consumo de cannabis dura aproximadamente 3 a 4 horas, mas para ser eficaz no tratamento do glaucoma, o efeito deve persistir 24h/dia. Isto significa que o consumo teria que ser realizado 6 a 8 vezes por dia.

Deve sempre informar o seu médico oftalmologista do consumo de marijuana

Um consumo desta magnitude, além dos efeitos secundários a nível mental e pulmonar (se inalado), deixá-lo-ia completamente inapto para o exercício de quaisquer funções. Nenhuma forma de administração (comprimidos, colírios, inalação) se revelou, até agora, segura e eficaz no tratamento desta patologia, sendo a sua utilização medicinal actualmente rejeitada pela comunidade científica no tratamento do Glaucoma. Deve sempre informar o seu médico oftalmologista do consumo de marijuana (ou derivados) para uma analise fiável do seu perfil tensional.

Dr. Ricardo Portugal

Dr. Ricardo Portugal
Médico Especialista em Oftalmologia – OM45841
Coordenador de Oftalmologia do Hospital Privado de Gaia


ÚLTIMOS ARTIGOS