Fernando Santos já chamou 101 jogadores e fez estrear 57

O treinador Fernando Santos, que cumpre na quinta-feira o seu 100.º jogo à frente da seleção portuguesa de futebol, já chamou mais de 100 jogadores e promoveu a estreia de 57, em quase oito anos no cargo.

Fernando Santos já chamou 101 jogadores e fez estrear 57

Fernando Santos já chamou 101 jogadores e fez estrear 57

O treinador Fernando Santos, que cumpre na quinta-feira o seu 100.º jogo à frente da seleção portuguesa de futebol, já chamou mais de 100 jogadores e promoveu a estreia de 57, em quase oito anos no cargo.

No total, Fernando Santos, de 67 anos, convocou 101 futebolistas, tendo superado a barreira da centena com a chamada dos bracarenses David Carmo e Ricardo Horta para os quatro primeiros jogos lusos no Grupo A2 da Liga das Nações 2022/23. O avançado bracarense de 27 anos, terceiro melhor marcador da edição 2021/22 da I Liga portuguesa, foi o 89.º jogador a alinhar na ‘era’ Fernando Santos e o 32.º a fazê-lo sem ser na condição de estreante.

Ricardo Horta já foi internacional ‘AA’ sob o comando de Fernando Santos, mas, a exemplo de outros 31 futebolistas, cumpriu o primeiro jogo com outro selecionador. Por seu lado, o jovem central David Carmo, de 22 anos, que não foi utilizado no 1-1 em Espanha (suplente) e no 4-0 à Suíça (fora dos 23 eleitos), faz parte da lista dos 12 que o atual técnico da formação das ‘quinas’ chamou e não utilizou, sendo que 11 dos quais nunca jogaram pela seleção ‘AA’.

Dos 89 futebolistas utilizados por Fernando Santos, o guarda-redes Rui Patrício é o que conta mais minutos (6.540), enquanto Cristiano Ronaldo lidera em termos de jogos disputados, com um total de 74, o que significa que falhou 25. Na lista dos jogadores com mais tempo de utilização, Patrício e Ronaldo (6.116 minutos) são secundados por Pepe, Bernardo Silva – o mais utilizados dos estreantes de Fernando Santos (4.556) -, Raphaël Guerreiro, William Carvalho, João Moutinho, Danilo Pereira, José Fonte, Rúben Dias e André Silva.

Do lado oposto, há 19 jogadores que jogaram, mas não atingem sequer 90 minutos de utilização, entre eles alguns consagrados, como Silvestre Varela, Hugo Almeida ou Hélder Postiga, que já estavam em fim de ciclo quando Fernando Santos chegou. Paulinho, Dyego Sousa, Pedro Gonçalves, André Pinto, Tiago Gomes, Ukra, Ricardo Horta, Edgar Ié, Pedro Mendes, Daniel Carriço, Rony Lopes, Gedson, Podence, André Almeida, Cláudio Ramos e Vítor Ferreira também não completaram um jogo, sendo que alguns, certamente, já não vão a ‘tempo’ de o fazer.

A lista inclui também uma série de notáveis, entre jogadores ainda em atividade e já retirados, como Nani, Eliseu, Ricardo Quaresma, André Gomes, Bruno Alves, Ricardo Carvalho, Danny, Tiago, Fábio Coentrão, Manuel Fernandes, Bosingwa, Miguel Veloso e, claro, o ‘herói’ Éder. O autor do golo mais importante da história do futebol português, em 10 de julho de 2016, na final do Europeu, com a França (1-0 após prolongamento), cumpriu 818 minutos na ‘era’ Fernando Santos, divididos por 23 jogos.

Entre os jogadores chamados e que já vinham com o ‘carimbo’ de internacionais ‘AA’, apenas um não foi utilizado, caso do avançado Ivan Cavaleiro, que se ficou pelo banco no 0-2 com Cabo Verde, em 31 de março de 2015. Por seu lado, também foram convocados e não jogaram – sendo que estão, assim, por estrear – 11 futebolistas, nomeadamente Ivo Pinto, Ventura, Tiago Pinto, Rui Fonte, Bruno Varela, José Sá, Ferro, Sequeira, Gonçalo Inácio, Tiago Djaló e David Carmo.

O central bracarense ainda tem duas oportunidades para se estrear neste atual ciclo de encontros da Liga das Nações, caso seja utilizado na quinta-feira, na receção à República Checa, ou no domingo, na deslocação à Suíça.

Impala Instagram


RELACIONADOS