Autoridade Marítima confirma morte de homem e rapariga de 8 anos (em atualização)

Uma avioneta caiu na tarde de quarta-feira, dia 2 de agosto, na praia de São João da Caparica. Ainda não existe confirmação do número de vítimas, apesar de testemunhas no local são conta de vários feridos e vítimas mortais.

Autoridade Marítima confirma morte de homem e rapariga de 8 anos (em atualização)

Uma avioneta caiu na tarde de quarta-feira, dia 2 de agosto, na praia de São João da Caparica. Ainda não existe confirmação do número de vítimas, apesar de testemunhas no local são conta de vários feridos e vítimas mortais.

Uma avioneta aterrou de emergência durante a tarde de quarta-feira, dia 2 de agosto, junto aos restaurantes Bicho d’Água e Leblon, na praia de São João da Caparica, em Almada. O INEM recebeu o alerta às 16h51 e destacou uma ambulância de Almada, assim como uma unidade móvel com um psicólogo.

Depois de testemunhas no local alegarem que existiriam dois corpos tapados no areal sem vida, a Autoridade Marítima Nacional (AMN) confirmou que a aterragem de emergência provocou duas vítimas mortais – uma criança , de oito anos, e um homem, de 56:

“Temos a confirmação que duas pessoas foram colhidas pela avioneta e morreram no local. As vítimas são um homem e uma criança, de oito anos do sexo feminino”, revelou o comandante Pedro Coelho Dias, porta-voz da Autoridade Marítima Nacional.

Não existe indicação de que as vítimas mortais sejam familiares. No entanto segundo declarações prestadas à TVI24, uma mulher terá ficado alegadamente ferida, com uns arranhões no ombro, tendo sido transportada para uma unidade hospitalar na região. De acordo com a mesma fonte, os pais da criança que morreu receberam acompanhamento psicológico mal chegou o INEM, tendo em conta que encontravam-se na praia e viram a filha perder a vida.

No local estiveram no total cerca de 30 operacionais e 13 viaturas, incluindo os Bombeiros de Cacilhas e da Trafaria, segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

O ambiente na praia já voltou à tranquilidade após a tragédia que deixou o areal em grande confusão, com pessoas a chorar, em pânico, a fugirem e “a chamarem pelos filhos”, adiantou uma testemunha que se encontrava no local quando todo o incidente ocorreu.

Os motivos da aterragem de emergência são ainda desconhecidos

A avioneta acidentada é um CESSNA C152, de 1978, de dois lugares, com uma envergadura de 10 metros, autonomia de seis horas e capacidade para atingir uma velocidade máxima de 145 km/h. A aeronave é propriedade do Aeroclube de Torres Vedras, apesar de estar emprestada há vários anos à escola de aviação G-Air.

A avioneta foi só removida da praia à noite, visto que teve de ser analisada por uma equipe de peritagem antes de ser retirada do areal.

Pilotos foram interrogados pela Polícia Marítima imediatamente após o acidente

O comandante da Capitania de Lisboa, Paulo Isabel, confirmou que a aeronave teria dois tripulantes, nomeadamente, o piloto, de 56 anos  e o copiloto, 30. Os dois homens escaparam ilesos e foram a ouvidos pelas autoridades logo após o acidente.

“Lamentando as duas vítimas mortais, num dia de Verão como este, se um avião aterrar numa praia destas, com centenas ou mesmo milhares de pessoas, poderia ser considerado um verdadeiro milagre só termos duas vítimas mortais”, afirmou Paulo Isabel,  comandante da Capitania de Lisboa.

O acidente ocorreu num voo de treino de navegação da escola de aviação a que a avioneta está emprestada, e segundo a nota de imprensa da G-Air o instrutor que aterrou de emergência tem “milhares de horas de pilotagem” e conta já com uma vasta experiência na área da pilotagem.

O instrutor, de 56 anos, e o aluno, de 30, vão ser hoje ouvidos em tribunal pelo Ministério Público e explicar o que os levou a aterrar de emergência no areal da praia, não optando por pousar o avião na água, como recomenda o protocolo para estas situações.

 

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários revelou que uma equipe da instituição foi enviada para local para dar início à investigação.

 

O guionista João Quadros estava no local quando o acidente ocorreu e partilhou imagens do momento nas redes sociais.

 

Veja também:

 

 

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS