Socorristas encontram mais restos mortais do acidente de aviação na Indonésia

Socorristas encontram mais restos mortais do acidente de aviação na Indonésia

As equipas de socorro indonésias voltaram a encontrar restos mortais no local onde se despenhou na segunda-feira o avião da Lion Air que transportava 189 a bordo.

O Boeing 737 MAX 8 ao serviço da companhia indonésia de baixo custo Lion Air desapareceu dos radares 12 minutos depois de ter descolado do aeroporto de Jacarta em direção a Sumatra tendo-se despenhado no mar, ao largo de Java com 189 pessoas a bordo.

De acordo com as autoridades a última mensagem do voo JT 610 foi um pedido para regressar ao aeroporto da capital indonésia.

Na segunda-feira, responsáveis pelas equipas de socorro afirmavam que “provavelmente” não há sobreviventes.

De acordo com a televisão indonésia Metro TV, dez sacos mortuários foram enviados para Jacarta onde vão ser realizados testes de ADN para que seja estabelecida a identidade dos restos mortais encontrados no mar, até ao momento.

As duas caixas negras do aparelho ainda não foram encontradas pelos mergulhadores das equipas de resgate, sendo que ainda não foi possível apurar a causa do acidente.

LEIA MAIS: Avião indonésio com 188 pessoas a bordo cai no Mar de Java

O avião devia fazer a ligação entre Jacarta e Pangkal Pingang (Sumatra), um ponto de trânsito para turistas que tradicionalmente se deslocam depois para as praias de Belitung.

De acordo com a Lion Air, o Boeing estava ao serviço da empresa de viagens de baixo custo desde o passado mês de agosto.

O piloto e o copiloto tinham, em conjunto, 11 mil horas de voo e tinham feito recentemente testes médicos e análises de despistagem de drogas.

Edward Sirait, patrão da Lion Air, reconheceu na segunda-feira que a companhia procedeu a reparações no avião, em Bali, antes do último voo, mas não especificou a natureza da intervenção acrescentando que se tratou de “um procedimento normal”.

Segundo a BBC, que teve acesso ao relatório técnico do voo entre Bali e Jacarta, efetuado no passado domingo, refere que se verificava uma “falha de fiabilidade” num instrumento de medida de velocidade e divergências nas medidas de altitude entre os aparelhos do piloto e do copiloto.

A companhia Lion Air ainda não comentou a notícia da televisão britânica, apesar dos pedidos de esclarecimento.

A empresa construtura Boieng difundiu um comunicado em que afirma “um pesar profundo” e anunciou que está disposta a fornecer assistência técnica no quadro do inquérito sobre o acidente.

O fabricante norte-americano suspendeu a produção de 737 MAX no ano passado logo após a comercialização dos aparelhos evocando problemas nos motores.

A Lion Air é a principal companhia de baixo custo da indonésia e tinha anunciado em 2017 a compra de 50 Boeing 737 MAX.

 

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Socorristas encontram mais restos mortais do acidente de aviação na Indonésia

As equipas de socorro indonésias voltaram a encontrar restos mortais no local onde se despenhou na segunda-feira o avião da Lion Air que transportava 189 a bordo.