Sobem para oito mortes após temporal no centro de Moçambique

O número de vítimas mortais do temporal de sábado em Chimoio, centro de Moçambique, subiu para oito e mais de 800 casas e serviços públicos sofreram danos, disseram hoje as autoridades à Lusa no mais recente balanço.

Sobem para oito mortes após temporal no centro de Moçambique

Sobem para oito mortes após temporal no centro de Moçambique

O número de vítimas mortais do temporal de sábado em Chimoio, centro de Moçambique, subiu para oito e mais de 800 casas e serviços públicos sofreram danos, disseram hoje as autoridades à Lusa no mais recente balanço.

Os números anteriores eram de cinco mortos e cerca de 500 casas afetadas, a maioria de construção precária, após a intempérie que juntou ventos fortes, granizo e trovoada nos distritos de Chimoio, Gondola e Vanduzi.

O número de feridos mantém-se em sete.

As três novas mortes foram confirmadas na terça-feira, 13, tendo duas vítimas sido atingidas por raios no distrito de Vanduzi, nos quintais de suas residências.

Uma terceira vítima morreu em Chimoio, depois de não resistir aos ferimentos causados pelo desabamento de uma parede da residência, segundo o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

O vendaval destruiu totalmente 188 casas e outras 629 casas sofreram destruição parcial, afetando 1194 famílias, com quase a metade (427) a necessitar de assistência alimentar e material.

“Estão sendo assistidas com lonas e alimentos”, disse aos jornalistas Augusto Alexandre, delegado do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) na província de Manica.

O vendaval destruiu ainda três postos de saúde, duas escolas e oito locais de culto religioso nos distritos de Chimoio e Gondola.

Além da assistência às famílias atingidas pelo temporal, está em curso um trabalho de reposição de tetos em infraestruturas sociais, disse à Lusa uma fonte do Centro Operativo de Emergência (COE) provincial de Manica, que coordena os vários setores do governo na resposta a desastres.

O temporal movimentou-se para norte e no domingo provocou ainda 17 feridos e estragos no distrito de Gurué, província da Zambézia (centro). 

Naquela zona houve também desabamento de casas e destruição de infraestruturas. 

AYAC//LFO // PJA

Lusa/Fim

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS