PSP e GNR vão continuar protestos e ameaçam dormir na rua

O presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, afirmou que os protestos das forças de segurança vão continuar até haver uma resposta do Governo às reivindicações dos agentes.

PSP e GNR vão continuar protestos e ameaçam dormir na rua

PSP e GNR vão continuar protestos e ameaçam dormir na rua

O presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, afirmou que os protestos das forças de segurança vão continuar até haver uma resposta do Governo às reivindicações dos agentes.

O presidente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP), afirmou hoje que os protestos das forças de Segurança vão continuar até haver uma resposta do Governo às reivindicações dos agentes. Paulo Rodrigues falava aos jornalistas junto ao Marquês de Pombal, em Lisboa, onde se concentram desde o final da manhã os polícias e os militares da GNR que se vão manifestar num percurso até à Assembleia da República, a partir das 16h00, sendo que muitos ameaçam dormir na rua.

Questionado sobre as grades de segurança [antimotim]e blocos de betão instalados pela polícia ao fundo da escadaria da assembleia, Paulo Rodrigues afirmou concordar com as mesmas, lançando ainda o desafio de serem mantidas no local. “Acho que não é necessário, mas como polícia percebo perfeitamente o sentido de lá estarem e até sugiro que deixem ficar porque nós vamos continuar com as ações de protestos enquanto o Governo não atender as nossas reivindicações”, disse.

LEIA DEPOIS
Mais de 70% dos portugueses utilizam telemóvel durante condução

Centenas vestem as T-shirts brancas do Movimento Zero

Na praça do Marquês de Pombal, ponto de encontro para o desfile até à Assembleia da República, pelas 13:45 já se encontravam centenas de polícias e militares vindos do Porto, Braga, Viana, Vila Real, Viseu e Algarve e largas centenas vestem as T-shirts brancas do Movimento Zero. “Não tenho dúvidas de que vai ser uma grande manifestações. Sentimos, na PSP e na GNR, a grande vontade dos elementos em aderir ao protesto, até porque, a revolta tem crescido nos últimos anos”.

Entre as reivindicações da classe policial e militar da GNR está o pagamento do subsídio de risco, a atualização salarial e dos suplementos remuneratórios, e mais e melhor equipamento de proteção pessoal.

LEIA MAIS
Acidente faz um morto na A1 no Cartaxo
Base aérea n.º 1 de Sintra vai ser deslocada para Beja

Impala Instagram


RELACIONADOS