Principal partido da oposição apresenta pedido de anulação do referendo na Turquia

O principal partido da oposição na Turquia, o CHP, anunciou que vai apresentar hoje ao Alto Conselho Eleitoral (YSK) um pedido de anulação do referendo de domingo sobre o reforço dos poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Principal partido da oposição apresenta pedido de anulação do referendo na Turquia

Principal partido da oposição apresenta pedido de anulação do referendo na Turquia

O principal partido da oposição na Turquia, o CHP, anunciou que vai apresentar hoje ao Alto Conselho Eleitoral (YSK) um pedido de anulação do referendo de domingo sobre o reforço dos poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan.

O principal partido da oposição na Turquia, o CHP, anunciou que vai apresentar hoje ao Alto Conselho Eleitoral (YSK) um pedido de anulação do referendo de domingo sobre o reforço dos poderes do presidente Recep Tayyip Erdogan.

O pedido será apresentado pelas 14:30 (12:30 em Lisboa), adiantou o partido social-democrata em comunicado. Um responsável do partido deveria reunir-se com o presidente do YSK duas horas mais cedo. Desde o anúncio dos resultados do referendo, os dois principais partidos da oposição, o CHP e o HDP (pro-curdo), têm denunciado “manipulações” no escrutínio.

Em causa, a decisão do YSK de considerar como válidos os boletins não marcados com o selo oficial das autoridades eleitorais. A oposição vê nessa decisão uma manobra que permite a fraude. Pouco após o anúncio do CHP, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, declarou hoje que “toda a gente, a começar pelo principal partido da oposição, deve respeitar (…) a palavra da nação”.

“Os que se esforçam por lançar uma sombra sobre o resultado do referendo propagando alegações (de irregularidades) agem em vão. A vontade da nação foi expressa libremente nas urnas, este caso está terminado”, disse.

Uma missão de observadores da OSCE e do Conselho da Europa considerou na segunda-feira que a campanha não se desenvolveu em condições equitativas e que o escrutínio não esteve “à altura dos critérios” europeus. O presidente Erdogan respondeu imediatamente apelando aos observadores europeus que “se mantenham no seu lugar”.

Já hoje, a Alemanha instou a Turquia a esclarecer, quanto antes, as dúvidas sobre a limpeza do referendo. O ministro do Interior, Thomas de Maizière, fez a exigência em declarações hoje publicadas pelo diário “Rheinische Post”, nas quais questiona que se possa fazer uma consulta em estado de emergência.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS