Presidente angolano quase triplica valor para financiar campanha eleitoral dos partidos

O Presidente angolano reviu hoje em alta o valor a atribuir aos partidos para a campanha eleitoral, que passou de 445 milhões de kwanzas (949 mil euros) para 1.112 milhões (2,6 milhões de euros) quase três vezes mais.

Presidente angolano quase triplica valor para financiar campanha eleitoral dos partidos

Presidente angolano quase triplica valor para financiar campanha eleitoral dos partidos

O Presidente angolano reviu hoje em alta o valor a atribuir aos partidos para a campanha eleitoral, que passou de 445 milhões de kwanzas (949 mil euros) para 1.112 milhões (2,6 milhões de euros) quase três vezes mais.

O decreto presidencial não menciona os motivos que levaram ao ajustamento  do montante de financiamento público a atribuir a cada uma das oito candidaturas aprovadas pelo Tribunal Constitucional (TC)

O valor – 1 112 050 000 kwanzas — é atribuído a cada uma das candidaturas concorrentes, cujas listas foram já afixadas pelo TC.

Inicialmente, tinha sido aprovada uma verba de 444,8 milhões de kwanzas (949 mil euros) para o financiamento público das campanhas eleitorais dos sete partidos políticos e uma coligação.

Esta verba, que deverá ser atribuída até ao quinto dia posterior à divulgação pelo Tribunal Constitucional da lista definitiva das candidaturas aprovadas, tem como objetivo financiar a campanha eleitoral dos concorrentes às eleições gerais de Angola, que terão lugar no dia 24 de agosto de 2022.

Ao Tribunal Constitucional submeteram as suas candidaturas o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), a UNITA, a Convergência Ampla de Salvação de Angola — Coligação Eleitoral (CASA-CE), a Aliança Patriótica Nacional (APN), o Partido de Renovação Social (PRS), a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA) e o Partido Humanista.

No dia 24 de agosto, Angola realiza as suas quintas eleições gerais, as quartas consecutivas, depois de um interregno, devido à guerra, entre 1992, ano em que foi realizado o primeiro ato eleitoral, e 2008, altura em que o país retomou o processo eleitoral.

 

 

RCR // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS