Criança desaparecida há 20 anos reencontrada pela família [vídeo]

Criança tinha quatro anos quando desapareceu. Pai estava alcoolizado e adormeceu. Yulia reencontrou os pais através das redes sociais.

Criança desaparecida há 20 anos reencontrada pela família [vídeo]

Criança tinha quatro anos quando desapareceu. Pai estava alcoolizado e adormeceu. Yulia reencontrou os pais através das redes sociais.

Yulia Moiséyenko desapareceu num comboio a 1 de outubro de 1999, na Bielorrússia. Pai e filha viajavam juntos, mas o progenitor alcoolizado adormeceu depois de ter bebido durante a viagem. Quando acordou, a filha de quatro anos tinha desaparecido. Os pais foram, na altura, investigados. Confirmou-se, porém, a veracidade da história e as autoridades policiais apontaram o caso como crime de rapto. A mãe da criança, Liudmila, acreditou sempre num reencontro, o que acabou por acontecer o mês passado, quase duas décadas depois do desaparecimento da filha. Em 2018, os pais da jovem relembraram o caso num canal de televisão russo e a entrevista foi partilhada milhares de vezes nas redes sociais.

LEIA DEPOIS
Rosa Grilo assume amante e volta a defender que Luís Grilo foi assassinado por angolanos

Momento televisivo na origem do regresso de Yulia ao lar

Foi este momento televisivo que esteve na origem do regresso de Yulia ao lar. A jovem fez uma busca na Internet com as poucas informações de que dispunha por parte dos pais adotivos e percebeu as semelhanças. «Falavam de uma menina que desapareceu no comboio. Essa era a única informação que tinha da altura em que deixei de ver os meus pais», contou. O teste de ADN realizado comprovou a identidade da jovem que voltou para casa dos pais biológicos. Yulia Moiséyenko pôde contar às autoridades policiais que não foi raptada. A menina perdeu-se no comboio e acabou por sair numa estação errada, na cidade de Riazán. Sozinha no local, agentes da polícia questionaram quem era e onde estavam os pais. Com apenas quatro anos, só soube dizer o seu nome e o nome próprio dos pais e que estava perdida. Viveu vários anos em casas de acolhimento, até ser adotada por uma família russa. Contudo, nunca se adaptou a nenhum lar e sempre quis conhecer os pais biológicos. Finalmente, quase 20 anos depois, o reencontro aconteceu e emocionou a Rússia.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para quarta-feira, 11 de setembro
Médicos estão a ser “impedidos de proteger a vida de doentes com cancro”

Impala Instagram


RELACIONADOS