Criança desaparecida há 20 anos reencontrada pela família [vídeo]

Criança tinha quatro anos quando desapareceu. Pai estava alcoolizado e adormeceu. Yulia reencontrou os pais através das redes sociais.

Criança desaparecida há 20 anos reencontrada pela família [vídeo]

Criança tinha quatro anos quando desapareceu. Pai estava alcoolizado e adormeceu. Yulia reencontrou os pais através das redes sociais.

Yulia Moiséyenko desapareceu num comboio a 1 de outubro de 1999, na Bielorrússia. Pai e filha viajavam juntos, mas o progenitor alcoolizado adormeceu depois de ter bebido durante a viagem. Quando acordou, a filha de quatro anos tinha desaparecido. Os pais foram, na altura, investigados. Confirmou-se, porém, a veracidade da história e as autoridades policiais apontaram o caso como crime de rapto. A mãe da criança, Liudmila, acreditou sempre num reencontro, o que acabou por acontecer o mês passado, quase duas décadas depois do desaparecimento da filha. Em 2018, os pais da jovem relembraram o caso num canal de televisão russo e a entrevista foi partilhada milhares de vezes nas redes sociais.

LEIA DEPOIS
Presidiários resgatam criança trancada num carro [vídeo]

Momento televisivo na origem do regresso de Yulia ao lar

Foi este momento televisivo que esteve na origem do regresso de Yulia ao lar. A jovem fez uma busca na Internet com as poucas informações de que dispunha por parte dos pais adotivos e percebeu as semelhanças. «Falavam de uma menina que desapareceu no comboio. Essa era a única informação que tinha da altura em que deixei de ver os meus pais», contou. O teste de ADN realizado comprovou a identidade da jovem que voltou para casa dos pais biológicos. Yulia Moiséyenko pôde contar às autoridades policiais que não foi raptada. A menina perdeu-se no comboio e acabou por sair numa estação errada, na cidade de Riazán. Sozinha no local, agentes da polícia questionaram quem era e onde estavam os pais. Com apenas quatro anos, só soube dizer o seu nome e o nome próprio dos pais e que estava perdida. Viveu vários anos em casas de acolhimento, até ser adotada por uma família russa. Contudo, nunca se adaptou a nenhum lar e sempre quis conhecer os pais biológicos. Finalmente, quase 20 anos depois, o reencontro aconteceu e emocionou a Rússia.

LEIA MAIS
Coronavírus: DGS insiste que isolamento é para ficar em casa

Impala Instagram


RELACIONADOS