Vampiro disse que queria beber sangue humano antes de matar

está em fuga depois de assassinar um homem e de beber o sangue da vítima um homicida a quem chamam Vampiro. Homem é conhecido por práticas vampirescas.

Vampiro disse que queria beber sangue humano antes de matar

Vampiro disse que queria beber sangue humano antes de matar

está em fuga depois de assassinar um homem e de beber o sangue da vítima um homicida a quem chamam Vampiro. Homem é conhecido por práticas vampirescas.

Vampiro, nome pelo qual o alegado homicida de 24 anos é conhecido no Brasil, está em fuga desde a passada terça-feira, dia 14 de maio. Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal, o suspeito matou Heraldo Carvalho, de 43 anos, e bebeu-lhe o sangue. De acordo com as autoridades policiais, Vampiro, também conhecido por Pivetão, contou com a ajuda do irmão e de mais um amigo para cometer o crime macabro. Estão os três a monte.

LEIA DEPOIS

Previsão do tempo para quinta-feira, 16 de maio

Vampiro atraiu a vítima a troco de droga

 

Vampiro é também conhecido por Pivetão

Antes do homicídio, o Vampiro do Itapoã, terá dito aos vizinhos que estava com «vontade de beber sangue humano». O alegado homicida bebia, com frequência, sangue de aves que armazenava em sacos no congelador. Vampiro atraiu Heraldo Carvalho «contratando-o para fazer uma cerca na casa onde morava» e prometeu pagar o serviço com droga. Segundo os investigadores, «a vítima consumiu a droga, mas não realizou o trabalho», enfurecendo Pivetão. O criminoso «matou-o com um forte golpe na cabeça e bebeu parte do sangue, armazenando outra parte» no frigorífico.

Mulher da vítima socorreu o assassino, sem saber da morte do esposo

Heraldo Carvalho, 43 anos, a vítima do Vampiro

A esposa de Heraldo contou à polícia que chegou a fazer curativos ao autor do crime sem saber que o marido estava morto. «Os ferimentos indicam que houve uma reação por parte da vítima. Ainda estamos a apurar como ocorreu o homicídio, mas sabemos que Heraldo sofreu um golpe profundo de arma branca na cabeça», avançou a delegada responsável pela investigação. Uma testemunha do crime foi obrigada a carregar o corpo e a ajudar a ocultá-lo. Foi agredida pelos autores como forma de intimidação para que não contasse nada às autoridades. A mesma pessoa assistiu ao momento em que os autores beberam o sangue da vítima.  O Brasil encetou uma verdadeira caça ao homem para deter os três suspeitos, mas ainda não tem informação sobre o paradeiro do trio.

LEIA MAIS

Dono de estabelecimento mata cliente à facada em Setúbal

Bebé nasce deformado depois de mais de um mês em trabalho de parto

Há 10 moedas de 2 euros em circulação que valem milhares e uma pode estar na sua carteira

Impala Instagram


RELACIONADOS