Tropas governamentais sírias avançam para norte, para travar ofensiva turca

A Síria vai enviar tropas governamentais para o norte do país, para enfrentar a ofensiva turca contra as milícias curdas nessa região, segundo os ‘media’ estatais sírios.

Tropas governamentais sírias avançam para norte, para travar ofensiva turca

Tropas governamentais sírias avançam para norte, para travar ofensiva turca

A Síria vai enviar tropas governamentais para o norte do país, para enfrentar a ofensiva turca contra as milícias curdas nessa região, segundo os ‘media’ estatais sírios.

De acordo com fontes oficiais citadas pela agência e pela estação televisiva estatais da Síria, o exército prepara-se para entrar em cidades controladas pelos curdos que estão a ser atacadas pelas forças turcas, desde quarta-feira, dias depois de os Estados Unidos terem anunciado a retirada das suas tropas da região.

“Unidades do exército árabe sírio estão a caminho do norte, para enfrentar a agressão turca em território sírio”, diz a agência estatal, citando fontes oficiais que dizem ter havido negociações entre a administração semi-autónoma curda e o Governo de Bashar al-Assad, mediadas pelo Governo russo.

No sábado, o secretário de Defesa norte-americano, Mark Esper, afirmou numa entrevista televisiva ter tido conhecimento de conversações entre as milícias curdas e os governos da Síria e da Rússia (aliados), para encontrar forma de montar resistência aos ataques turcos, agora que os EUA estão a abandonar o território.

A confirmar essa informação, uma fonte do Governo sírio disse hoje que “todas as opções estão a ser estudadas contra a ofensiva turca”, recordando que já no final de 2018, quando a Turquia ameaçou uma operação contra as milícias curdas no nordeste do território, o exército se mobilizara nos arredores de algumas das cidades dessa região.

Este anúncio acontece na mesma altura em que Alemanha e França discutem formas de estancar a ofensiva turca contra as milícias curdas.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, está a participar numa reunião de emergência do seu gabinete, para discutir a invasão turca e disse que está em contacto direto com a chanceler alemã, Angela Merkel, para tentar encontrar soluções apoiadas pela comunidade internacional.

Macron e Merkel apareceram lado a lado, hoje em Paris, concordando em que a ofensiva turca está a criar riscos humanitários “insustentáveis”, que podem fazer retroceder todos os avanços feitos na luta contra o Estado Islâmico na Síria, onde as milícias curdas tiveram um papel importante, combatendo ao lado dos Estados Unidos e de outras forças internacionais.

A Alemanha e a França, juntamente com países como a Holanda e a Noruega, já anunciaram o embargo temporário à venda de armas à Turquia, membro da NATO, alegando que não podem permitir o uso do seu armamento na luta contra as milícias curdas na Síria.

RJP // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS