Trinta e oito pessoas sequestradas por grupo criminoso libertadas no Haiti

Porto Príncipe, 12 jun 2022 (Lusa) – As 38 pessoas sequestradas na sexta-feira em Porto Príncipe por um grupo criminoso, quando viajavam para o sul do Haiti, foram libertadas no sábado, informou uma associação de motoristas.“Os passageiros que tinham sido raptados foram libertados e os dois autocarros recuperados a 11 de junho”, escreveu a Associação […]

Trinta e oito pessoas sequestradas por grupo criminoso libertadas no Haiti

Trinta e oito pessoas sequestradas por grupo criminoso libertadas no Haiti

Porto Príncipe, 12 jun 2022 (Lusa) – As 38 pessoas sequestradas na sexta-feira em Porto Príncipe por um grupo criminoso, quando viajavam para o sul do Haiti, foram libertadas no sábado, informou uma associação de motoristas.“Os passageiros que tinham sido raptados foram libertados e os dois autocarros recuperados a 11 de junho”, escreveu a Associação […]

Porto Príncipe, 12 jun 2022 (Lusa) – As 38 pessoas sequestradas na sexta-feira em Porto Príncipe por um grupo criminoso, quando viajavam para o sul do Haiti, foram libertadas no sábado, informou uma associação de motoristas.

“Os passageiros que tinham sido raptados foram libertados e os dois autocarros recuperados a 11 de junho”, escreveu a Associação de Proprietários e Motoristas do Haiti (APCH) na rede social Twitter.

A APCH não revelou se foi exigido algum resgate por parte dos raptores.

Trinta e seis passageiros e dois motoristas foram sequestrados na sexta-feira de manhã por membros de um grupo de Village de Dieu, uma das favelas da capital haitiana Porto Príncipe.

Desde junho do ano passado, as autoridades perderam o controlo do único acesso rodoviário que liga a capital a uma zona no sul do Haiti, uma vez que parte da estrada nacional está sob o controlo de grupos armados.

O presidente da APCH, Méhu Changeux, disse na sexta-feira que a associação “pede sempre aos condutores que não utilizem a estrada” até que seja “restaurada a segurança”.

Um apelo que dificilmente é atendido por muitos habitantes, já que viajar pela única estrada alternativa é muito mais caro, referiu Méhu Changeux.

“Ainda há autocarros a correr o risco”, lamentou.

Só em maio, pelo menos 200 raptos foram registados no Haiti pela Organização das Nações Unidas (ONU), a maioria deles em Porto Príncipe.

CAD // CAD

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS