Tailândia: Jovem treinador já esteve às portas da morte e recuperou a alegria no futebol

Tailândia: Jovem treinador já esteve às portas da morte e recuperou a alegria no futebol

Ekapol Chanthawong está preso nas grutas de Tham Luang com a sua equipa de futebol composta por crianças.

O treinador de futebol tailandês, Ekapol Chanthawong tem 25 anos e já não é a primeira vez que está em situações de perigo. Em 2003, toda a sua família foi vítima de uma epidemia de doenças respiratórias mortal. O pai, a mãe e o irmão morreram. A partir daí, foi a tia quem criou o jovem sobrevivente “triste e solitário”.

Com o intuito de ser um monge budista, Ekapol deixou um mosteiro após dez anos pois teve de regressar a casa para cuidar da avó que se encontrava doente, conta o jornal The Washington Post.

LEIA MAIS: Tailândia: Resgate na gruta termina amanhã [fotos]

Perante várias episódios que despedaçaram a vida de Ekapol, o jovem tailandês viu recuperada a sua alegria nas crianças. Pouco depois de deixar os rituais e começar a cuidar da avó, Ekapol ingressou na equipa do clube Moo Pa, como assistente do treinador das equipas de formação.

A maioria dos pequenos futebolistas vivia em situações de pobreza. Ekapol ajudou-os muito nos treinos e também nos estudos. Se eles tirassem boas notas, tinham direito a novos equipamentos. Ekapol “amava mais as crianças do que si mesmo, deu muito de si a cada uma”, contou um dos amigos do jovem ao The Washington Post que admirou de perto a disciplina e responsabilidade que o treinador queria incutir na sua equipa.

“Ekapol é muito boa pessoa, adora crianças. Voluntaria-se sempre para ajudar os outros e é muito educado”, disse a tia do treinador à CNN

Resta saber agora como foi a atitude de Ekapol nestes dias fechado com as crianças. Muito se tem contestado pela decisão do jovem treinador ter ido para a gruta com a equipa, apesar de existir uma placa que avisa do perigo das chuvas fortes que atingem a região. Por outro lado, a atitude de Ekapol tem caído bem pois tem cuidado dos meninos até ao momento. Deu parte da comida e água que tinha transportado consigo. Um dos amigos de Ekapol disse ao jornal norte-americano Washington Post que ele vai se culpar a si próprio por tudo o que aconteceu.

LEIA MAIS: Tailândia: Crianças resgatadas proibidas de abraçar ou beijar os pais


RELACIONADOS