Substância do vinho ajuda a fortalecer memória

Novo estudo comprova benefícios do vinho para a saúde humana. Universidade Rush, nos Estados Unidos da América, comprovou que a bebida tem uma substância que fortalece a memória.

Substância do vinho ajuda a fortalecer memória

Substância do vinho ajuda a fortalecer memória

Novo estudo comprova benefícios do vinho para a saúde humana. Universidade Rush, nos Estados Unidos da América, comprovou que a bebida tem uma substância que fortalece a memória.

O Centro Médico da Universidade Rush, nos Estados Unidos da América, acaba de divulgar um novo estudo que comprova os benefícios do vinho para a saúde humana. O ‘néctar dos deuses’ contém uma substância que “pode ajudar a fortalecer a memória” e a “tornar mais lento o declínio cognitivo que surge com a idade”. O composto identificado é o flavonol, que pertencente à classe dos flavonoides, bioativo com caráter antioxidante e anti-inflamatório.

Para ler depois
Conheça a bactéria que já matou 6 crianças no Reino Unido
Perigosa infeção provocada pela bactéria conhecida como Strep A já matou seis crianças no Reino Unido. Conheça os sintomas desta doença fatal (… continue a ler aqui)

“É emocionante que o nosso estudo mostre que fazer escolhas alimentares específicas pode levar a uma taxa mais lenta de declínio cognitivo. Algo tão simples como comer mais fruta e vegetais e beber mais chá é uma forma fácil de as pessoas assumirem um papel ativo na manutenção da saúde do cérebro”, afirma o autor do estudo, Thomas Holland, que agora acrescenta o vinho a esta lista de alimentação saudável.

Para identificar a relação desta substância com a promoção da memória, os estudiosos analisaram 961 participantes do Projeto de Memória e Envelhecimento Rush, que acompanhou idosos entre os 60 e os 100 anos em Chicago. Durante sete anos, os idosos foram acompanhados ‘à lupa’. Foram divididos em cinco grupos, baseados na ingestão de flavonóis, em que o mais baixo consumia cerca de 5 mg por dia e o mais alto, 15.

Vinho faz bem, mas quanto por dia?

Apesar de a redução de memória ser normal no envelhecimento, os idosos que consumiram as quantidades mais altas de flavonóis tiveram a perda por década muito mais devagar. Apesar do resultado, os cientistas alertam sobre o consumo moderado do vinho. Ultrapassar a dose diária, equivalente a um copo, é associado a diversos problemas de saúde, como aceleramento do envelhecimento genético, risco mais elevado de problemas no fígado e, até, impactos negativos no cérebro.

Impala Instagram


RELACIONADOS