Síria acusa Israel de ferir pelo menos duas pessoas em ataque nos montes Golã

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas num ataque israelita contra posições do Governo sírio na província de Quneitra, realizado na sexta-feira junto à fronteira com Israel, disse hoje a agência de notícias oficial síria, SANA.

Síria acusa Israel de ferir pelo menos duas pessoas em ataque nos montes Golã

Síria acusa Israel de ferir pelo menos duas pessoas em ataque nos montes Golã

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas num ataque israelita contra posições do Governo sírio na província de Quneitra, realizado na sexta-feira junto à fronteira com Israel, disse hoje a agência de notícias oficial síria, SANA.

O Exército de Israel anunciou sexta-feira que atingiu vários alvos das Forças Armadas da Síria (SAF, na sigla inglesa) no sul do país, em retaliação ao fogo que visava atingir militares israelitas.

O ataque ocorreu antes da meia-noite de sexta-feira e os aviões israelitas lançaram mísseis contra três posições sírias, perto da fronteira com os montes Golã, ocupadas por Israel, de acordo com uma fonte militar citada pela SANA,

A fonte acrescentou que duas pessoas ficaram feridas, embora não tenha especificado se as vítimas são civis ou militares, explicando que o impacto das explosões causou incêndios na vegetação.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos admite a possibilidade de o número de feridos ser mais elevado, referindo quatro vítimas, incluindo dois membros das forças do Governo sírio.

O Exército de Israel alega ter lançado o ataque depois de uma explosão na Síria ter causado danos a um edifício civil e a um veículo, nos montes Golã.

Helicópteros militares israelitas terão atingido postos de observação e sistemas de recolha de informações localizados junto das bases do Exército Sírio, de acordo com a versão israelita.

Os ataques de Telavive são uma resposta ao ataque de Damasco contra os montes Golã, ocupados por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, em 1967.

Desde o início do conflito na Síria, em 2011, Israel atacou repetidamente as tropas do Presidente Bashar al-Assad, bem como as milícias xiitas iranianas e libanesas que as apoiam.

A presença das milícias, especialmente as iranianas, é considerada por Israel uma ameaça à sua segurança, embora este tipo de operação militar raramente seja reconhecido oficialmente.

RJP (AFE) // JLG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS