Sindicato dos motoristas pede mediação do Governo

Francisco São Bento, presidente do SNMMP, anunciou que se trata do «melhor caminho».

Sindicato dos motoristas pede mediação do Governo

Sindicato dos motoristas pede mediação do Governo

Francisco São Bento, presidente do SNMMP, anunciou que se trata do «melhor caminho».

O SNMMP – Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas – vai pedir a mediação do Governo no conflito com a ANTRAM e que deu origem à convocação da greve desde segunda-feira, 12 de agosto.

LEIA DEPOIS
Greve dos motoristas preocupa revendedores de combustíveis

Francisco São Bento, presidente do SNMMP, anunciou que se trata do «melhor caminho». «O Governo fará as reuniões só com a ANTRAM», disse aos jornalistas, na altura em que fez o anúncio. Pedro Pardal Henriques salientou que a greve se mantém mas disse que agora «compete somente ao Governo a desconvocação desta greve».

«Ela continuará até ao momento que a ANTRAM e este sindicato entenderem que não há necessidade de continuar», frisou.

Pedro Polónio: «Não podemos reunir com a espada na cabeça»

A associação que reúne as empresas de transportes recusou marcar presença na reunião, alegando que não negoceia enquanto durar a greve, convocada por tempo indeterminado.«Não podemos, infelizmente, reunir com a espada na cabeça, não podemos negociar dessa forma (…), negociamos de uma forma franca e presencial (…), mas não sob ameaça de greve» foi a resposta de Pedro Polónio, um dos vice-presidentes da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram). Pedro Polónio falava na quarta-feira à noite, à saída do Ministério das Infraestruturas e da Habitação, onde a Antram assinou um acordo relativo ao contrato coletivo de trabalho com a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), afeta à CGTP, elogiado pelo primeiro-ministro, António Costa.

«Saúdo vivamente o acordo alcançado entre a Fectrans e a Antram. Neste caso imperou o bom senso e o diálogo», escreveu António Costa no Twitter, acrescentando esperar que «seja um exemplo seguido por outros», numa referência ao SNMMP e ao Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), que também convocou a greve iniciada na segunda-feira. O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, também disse que «o tempo da greve acabou» e que as partes se devem «sentar e negociar», garantindo ser desejo do Governo que a paralisação «termine o mais depressa possível».

LEIA MAIS
Previsão do tempo para sexta-feira, 16 de agosto

Impala Instagram


RELACIONADOS