Seis moçambicanos presos na África do Sul por furto de 8,5 milhões de litros de combustível

Pelo menos seis moçambicanos foram presos na África do Sul por alegado envolvimento numa rede criminosa que furtou cerca de 8,5 milhões de litros de combustível da estatal Transnet nos últimos 12 meses, revelou hoje fonte da Polícia sul-africana.

Seis moçambicanos presos na África do Sul por furto de 8,5 milhões de litros de combustível

Seis moçambicanos presos na África do Sul por furto de 8,5 milhões de litros de combustível

Pelo menos seis moçambicanos foram presos na África do Sul por alegado envolvimento numa rede criminosa que furtou cerca de 8,5 milhões de litros de combustível da estatal Transnet nos últimos 12 meses, revelou hoje fonte da Polícia sul-africana.

O porta-voz da unidade especial de investigação criminal Hawks, Philani Nkwalase, adiantou que um dos suspeitos, de 41 anos, foi detido no passado sábado quando transportava 8.000 litros de combustível furtado, avaliado em mais de 221.000 rands (12.341 euros).

Este suspeito foi preso juntamente com um sul-africano, de 35 anos, durante a entrega do combustível furtado em Kromdraai, Witbank, cerca de 140 quilómetros no leste da cidade de Joanesburgo, tendo sido acusados em tribunal por furto de combustível e adulteração do oleoduto da Transnet em Vrede, província sul-africana de Free State, referiu Philani Nkwalase.

O porta-voz policial adiantou à Lusa que mais cinco moçambicanos indocumentados, incluindo uma mulher, foram detidos na quarta-feira, também na localidade de Kromdraai, na residência do alegado líder da rede criminosa.

Na operação policial, o indivíduo de nacionalidade sul-africana, de 35 anos, cuja identidade não foi revelada, foi detido por alegadamente liderar o furto de combustível e dano de infraestruturas consideradas estratégicas na África do Sul, explicou o porta-voz da polícia sul-africana.

“Cerca de 8,5 milhões de litros de combustível, avaliados em aproximadamente 102 milhões de rands [5,7 milhões de euros], foram furtados dos oleodutos da Transnet nos últimos 12 meses”, explicou o porta-voz dos Hawks.

Philani Nkwalase sublinhou que “só nos últimos três meses, foram presas 46 pessoas por alegado envolvimento na rede de furto de combustível em várias províncias do país, sendo Gauteng, Mpumalanga e Free State as mais afetadas no país”.

  

CYH // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS