Autoridades avaliam condições de segurança para o resgate na pedreira em Borda

As autoridades estiveram a fazer uma “avaliação no terreno” sobre as condições de segurança para o resgate das vítimas do deslizamento de terras para uma pedreira, em Borba.

As autoridades estiveram hoje de manhã a fazer uma “avaliação no terreno” sobre as condições de segurança para o resgate das vítimas do deslizamento de terras para uma pedreira, em Borba, disse à Lusa fonte da Proteção Civil.

LEIA MAIS: Abate de estrada em Borba: «Era uma situação que estava identificada pelo menos há quatro anos»

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora adiantou que o objetivo é “haver condições de segurança” para a realização das operações de resgate das vítimas.

Fontes das GNR e dos bombeiros adiantaram também à Lusa que, durante a madrugada de hoje, se registaram novos deslizamentos de terras no local, por os terrenos estarem “instáveis”.

As operações envolviam, cerca das 10:00 de hoje, 47 operacionais e 24 viaturas, entre bombeiros, Força Especial de Bombeiros (FEB), serviço Municipal de Proteção Civil, GNR, Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Exército e Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

O deslizamento de terras da estrada que ruiu para uma pedreira, na tarde de segunda-feira, provocou, pelo menos, dois mortos, segundo o Comandante Distrital de Operações de Socorro (CODIS) de Évora, José Ribeiro.

Trata-se, segundo o responsável, de dois operários da empresa que explora a pedreira.

“Ocorreu o deslizamento de um grande volume de terra” na antiga estrada nacional 255, que provocou “a deslocação de uma quantidade muito significativa de rochas, de blocos de mármore e de terra para o interior de uma pedreira”, relatou o CODIS de Évora, indicando o alerta foi dado às 15:45 de segunda-feira.

Em consequência do deslizamento de terras, “houve dois operários da empresa que explora aquela pedreira que foram arrastados”, sendo estas as duas vítimas mortais que é possível confirmar.

As equipas de socorro estabeleceram, ainda na segunda-feira, contacto visual com uma retroescavadora e uma das vítimas arrastadas para o interior da pedreira.

O aluimento de um troço da estrada 255, no percurso entre Borba e Vila Viçosa, provocou também a queda de dois veículos civis, um ligeiro e uma carrinha de caixa aberta, para dentro da pedreira, “com 50 metros de profundidade”.

VEJA AINDA: Abate de estrada entre Borba e Vila Viçosa | «As operações de resgate podem demorar semanas»

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Autoridades avaliam condições de segurança para o resgate na pedreira em Borda

As autoridades estiveram a fazer uma “avaliação no terreno” sobre as condições de segurança para o resgate das vítimas do deslizamento de terras para uma pedreira, em Borba.