Quatro grandes fogos continuam ativos com mais de mil operacionais destacados

Quatro grandes incêndios continuavam às 07:00 ativos em Portugal continental, nos distritos da Guarda, Bragança, Aveiro e Santarém, e neste, o número de feridos ligeiros subiu para seis, de acordo com informação da proteção civil.

Quatro grandes fogos continuam ativos com mais de mil operacionais destacados

Quatro grandes fogos continuam ativos com mais de mil operacionais destacados

Quatro grandes incêndios continuavam às 07:00 ativos em Portugal continental, nos distritos da Guarda, Bragança, Aveiro e Santarém, e neste, o número de feridos ligeiros subiu para seis, de acordo com informação da proteção civil.

Às 07, quase 1.400 operacionais combatiam estes quatro fogos, em Ourém (distrito de Santarém), Benespera (Guarda), Carrazeda Ansiães (Bragança) e Sever do Vouga (Aveiro).

Os trabalhos de combate ao incêndio florestal que deflagrou na tarde de quinta-feira no concelho de Ourém (Santarém) decorrem “um pouco mais favoravelmente” disse à Lusa David Lobato, do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém.

“Houve aqui alguma entrada de humidade em termos meteorológicos”, justificou, realçando que o fogo causou “quatro feridos leves e dois assistidos”.

Pelas 05:30, encontravam-se 424 operacionais, apoiados por 121 viaturas no local, ainda segundo David Lobato, realçando que já não havia “habitações em risco” e a circulação na área estava “praticamente normalizada”.

O incêndio que deflagrou às 14:11 de quinta-feira na freguesia de Benespera (Guarda), numa zona de mato, também continuava ativo, com 333 operacionais e 103 viaturas destacados no combate às chamas, indicou o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) local.

“Para já, os trabalhos continuam a decorrer, embora favoravelmente”, referiu a mesma fonte, apontando que, na área, “o trânsito esta a circular normalmente”.

Os incêndios de Carrazeda de Ansiães e de Sever do Vouga também ainda não estavam controlados, de acordo com atualizações dos comandos distritais de operações de socorro de Bragança e de Aveiro, respetivamente.

O incêndio florestal que deflagrou pelas 15:54 de quinta-feira em Marzagão, no concelho de Carrazeda de Ansiães, onde chegaram a estar envolvidos três meios aéreos, estava a ser combatido por 171 operacionais apoiados por 57 viaturas.

Já de acordo com o CDOS de Aveiro, pelas 05:50, encontravam-se 378 operacionais e 116 viaturas a combater o incêndio florestal que teve início às 12:18 de quinta-feira em Sever do Vouga e passou para o concelho vizinho de Águeda.

Seis distritos de Portugal continental vão estar em alerta laranja, o segundo mais elevado, a partir de hoje devido ao risco elevado de incêndio florestal, anunciou na quinta-feira a Proteção Civil.

Viseu, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco e Santarém são os seis distritos, disse o comandante Nacional de Emergência e Proteção Civil, André Fernandes, adiantando que os restantes 12 distritos estarão em alerta amarelo, o terceiro mais elevado.

A situação de alerta decretada pelo Governo devido ao “significativo aumento do risco de incêndio rural” começou às 00:00 de hoje e prolonga-se até ao dia 15 de julho, foi anunciado na quinta-feira.

“Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio rural, os ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, da Saúde, do Ambiente e Ação Climática e da Agricultura e da Alimentação determinaram hoje [quinta-feira] a declaração da situação de alerta em todo o território do continente”, refere um comunicado do Ministério da Administração Interna (MAI).

Segundo o MAI, a situação de alerta, nível mais baixo de resposta a situações de catástrofes prevista na Lei de Base da Proteção Civil, termina às 23:59 de 15 de julho.

CAD (JML)// SB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS