Professor de Educação Física condenado por coação sexual a menor

Homem de 47 anos foi condenado no Tribunal de Coimbra a uma pena suspensa de quatro anos. Em causa está coação sexual a vizinha menor de idade, amiga da filha.

Professor de Educação Física condenado por coação sexual a menor

Professor de Educação Física condenado por coação sexual a menor

Homem de 47 anos foi condenado no Tribunal de Coimbra a uma pena suspensa de quatro anos. Em causa está coação sexual a vizinha menor de idade, amiga da filha.

Um professor de Educação Física, de 47 anos, foi condenado esta quarta-feira, 6 de janeiro, no Tribunal de Coimbra, a uma pena suspensa de quatro anos por coagir sexualmente uma vizinha menor de idade.

Para além disso, o professor de natação fica ainda proibido de exercer funções que impliquem o contacto com menores durante os próximos seis anos. O arguido, que à data era técnico superior de Desporto na Câmara de Góis, negou todas as acusações, afirmando que era “tudo uma mentira”.

O coletivo de juízes do Tribunal de Coimbra não valorizou a versão apresentada pelo agressor, considerando as declarações da vítima, de 16 anos, mais “credíveis“, “coerentes e lógicas”.

Tal como escreve o Correio da Manhã, tudo começou quando o homem começou a falar com a vítima sobre futebol, nas escadas do prédio. “Começaram a falar da lesão do jogador de futebol Seferovic, ocorrida no dia anterior, sendo que a dada altura o arguido, para demonstrar o local da lesão, acabou por tocar na virilha da vítima, por cima da roupa”, explica o Ministério Público.

Posteriormente, o arguido terá perguntado à vítima se esta tinha alguém em casa. Face à relação de amizade entre as famílias, a jovem não desconfiou das intenções do arguido, tendo os dois ido para a sua casa, relata o Ministério Público. Já depois de ter “avaliado o corpo da menor”, o arguido terá colocado a sua mão no interior das cuecas e tocou-lhe nas mamas, com a jovem a mostrar incómodo e constrangimento com o comportamento do homem.

Os factos tiveram lugar a 8 de março de 2019.

LEIA MAIS
Luso-canadiano raptava mulheres para serem escravas sexuais

Impala Instagram


RELACIONADOS