Prisão Preventiva para suspeita de matar e cortar cabeça de mulher encontrada em Matosinhos

A suspeita de matar e decapitar mulher, cuja cabeça foi encontrada numa praia da Leça da Palmeira, em Matosinhos, encontra-se em prisão preventiva e nega crime.

Prisão Preventiva para suspeita de matar e cortar cabeça de mulher encontrada em Matosinhos

Prisão Preventiva para suspeita de matar e cortar cabeça de mulher encontrada em Matosinhos

A suspeita de matar e decapitar mulher, cuja cabeça foi encontrada numa praia da Leça da Palmeira, em Matosinhos, encontra-se em prisão preventiva e nega crime.

Um mês depois de ter sido encontrado a cabeça de uma mulher, dentro de um saco de plástico, numa praia na Leça da Palmeira, Matosinhos, a investigação da Polícia Judiciária ganha novos contornos. A suspeita encontra-se em prisão preventiva e nega qualquer envolvimento no crime.

As autoridades identificaram a vítima, Natchaya Saranyaphat, de 40 anos, e de nacionalidade tailandesa, e chegaram a uma suspeita. Sangam Sawaiprkhon, natural também da Tailândia, é massagista e era patroa da vítima. Não tem antecedentes criminais e encontra-se presa preventivamente, indiciada por homicídio qualificado e profanação de cadáver.

O companheiro da arguida é também suspeito de ter participado no homicídio, continua em paradeiro incerto e está a ser procurado pela PJ.

Segundo um comunicado da Polícia, Natchaya Saranyaphat, que viajou da Tailândia para Portugal, em 2017, para trabalhar no salão de massagens de Matosinhos, gerido pela, agora, suspeita, terá emprestado pelo menos dois mil euros aos patrões. A dívida não terá sido saldada e terá estado na origem do crime.

Sangam Thaimassage foi presente no Tribunal de Matosinhos esta sexta-feira, 5 de abril, e negou qualquer envolvimento no crime. A mulher confirmou que Natchaya Saranyaphat era uma das funcionárias do salão e terá dito que a vítima estava desaparecida há várias semanas.

Apesar de afirma que está inocente, a arguida foi colocada em prisão preventiva.

LEIA MAIS
Ginasta obrigada a terminar carreira depois de partir as duas pernas [vídeo]
Ex-GNR que agrediu mulher e filha durante 12 anos vê pena de prisão reduzida

Impala Instagram


RELACIONADOS