Prisão preventiva para homem suspeito de abusar da filha de cinco anos quando cumpria pena em casa

Prisão preventiva para homem suspeito de abusar da filha de cinco anos quando cumpria pena em casa

Um homem suspeito de ter abusado sexualmente da sua filha de cinco anos, em Sintra, quando estava a cumprir uma pena em casa, com pulseira eletrónica, ficou em prisão preventiva, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Um homem suspeito de ter abusado sexualmente da sua filha de cinco anos, em Sintra, quando estava a cumprir uma pena em casa, com pulseira eletrónica, ficou em prisão preventiva, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

Segundo a nota publicada no ‘site’ da PGDL, o arguido, que cumpria pena de prisão de um ano executada em permanência na sua habitação, com pulseira eletrónica, abusou sexualmente da sua filha de cinco anos, na sua residência, no distrito de Lisboa, na qual habitava com a sua mulher.

Segundo um comunicado da Polícia Judiciária, divulgado na segunda-feira, a vítima “teve de ser internada numa unidade hospitalar porque sofreu graves danos físicos”.

A nota da polícia também referia que o suspeito, de 33 anos, tem “antecedentes criminais e encontrava-se sujeito a vigilância eletrónica e obrigação de permanência na habitação, local onde consumou os crimes”. No entanto, não foi anunciado o crime pelo qual o homem tinha sido condenado.

De acordo com a nota da PGDL, o arguido ficou em prisão preventiva, encontrando-se o processo em segredo de justiça.

O inquérito foi dirigido pelo Ministério Público do Departamento Instrução Ação Penal de Sintra/5.ª Secção, com a coadjuvação da Polícia Judiciária (PJ).

LEIA MAIS: Menina de três anos morreu após abuso sexual

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Prisão preventiva para homem suspeito de abusar da filha de cinco anos quando cumpria pena em casa

Um homem suspeito de ter abusado sexualmente da sua filha de cinco anos, em Sintra, quando estava a cumprir uma pena em casa, com pulseira eletrónica, ficou em prisão preventiva, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).