Presidente Filipe Nyusi pede aos jovens militares “compromisso com a pátria”

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, pediu hoje “um compromisso com a pátria” aos jovens militares em missão contra os grupos armados em Cabo Delgado.

Presidente Filipe Nyusi pede aos jovens militares

Presidente Filipe Nyusi pede aos jovens militares “compromisso com a pátria”

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, pediu hoje “um compromisso com a pátria” aos jovens militares em missão contra os grupos armados em Cabo Delgado.

Maputo, 12 ago 2021 (Lusa) — O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, pediu hoje “um compromisso com a pátria” aos jovens militares em missão contra os grupos armados em Cabo Delgado, norte do país, saudando o seu empenho na defesa da soberania.

Filipe Nyusi fez a exortação, numa mensagem por ocasião do Dia Internacional da Juventude, que se assinala hoje.

“Auguramos que, tal como os jovens do 25 de setembro de 1964 [que lutaram contra o colonialismo português], a nossa juventude contemporânea se comprometa, cada vez mais, à causa da nossa pátria”, afirma Nyusi, na mensagem.

O chefe de Estado pediu à juventude do país para se mobilizar na defesa da soberania, inspirando-se na resistência secular contra a dominação estrangeira.

Outra frente de combate, prosseguiu, é a eliminação da pobreza e da fome rumo à prosperidade de Moçambique.

Filipe Nyusi desafiou os jovens a trabalharem pelo “aumento da produção alimentar nacional, rumo a fome zero, tornando, deste modo, a fome uma narrativa do passado em Moçambique”.

Grupos armados aterrorizam a província de Cabo Delgado desde 2017, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Na sequência dos ataques, há mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, segundo as autoridades moçambicanas.

O combate contra os insurgentes conheceu progressos com a recuperação da estratégica vila de Mocímboa da Praia, no último domingo, durante uma operação conjunta das forças governamentais de Moçambique e do Ruanda.

A vila foi invadida e ocupada pelos rebeldes em 23 de março de 2020, numa ação depois reivindicada pelo grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico.

Além de um contingente de mil militares e polícias do Ruanda, a luta contra os insurgentes recebeu na segunda-feira um reforço de um efetivo militar da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), cujo número ainda não é conhecido.

 

PMA // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS