População mundial vive cada vez menos em regimes de Democracia

Cada menos pessoas vivem em regimes de Democracia, com queda acentuada nos últimos anos. Cresceram os regimes autocráticos e parcialmente democráticos.

População mundial vive cada vez menos em regimes de Democracia

População mundial vive cada vez menos em regimes de Democracia

Cada menos pessoas vivem em regimes de Democracia, com queda acentuada nos últimos anos. Cresceram os regimes autocráticos e parcialmente democráticos.

A comparação com anos anteriores faz-se em cima de 6 de janeiro, quando milhares de apoiantes do ex-presidente de extrema-direita do Brasil Jair Bolsonaro forçaram a entrada no congresso, no palácio presidencial e na suprema corte do país. Foram necessárias cerca de três horas para as forças de segurança recuperarem o controlo da situação, com pelo menos 300 prisões feitas logo naquele dia. A principal motivação por trás do motim está ligada à recusa dos bolsonaristas em aceitar os resultados das eleições de outubro, que levaram ao regresso de Luiz Inácio Lula da Silva ao poder.

Para ler depois
Só Portugal e países de Leste têm menos de 3 médicos por mil habitantes
Áustria e Noruega têm o maior número de médicos per capita da Europa. Portugal e a larga maioria dos países de Leste têm o menor número de clínicos por mil habitantes (… continue a ler aqui)

Embora a Democracia tenha resistido nos Estados Unidos da América após o motim do Capitólio e – até agora – também no Brasil, uma análise compilada por Our World in Data destaca o quão frágil o regime democrático pode ser. A parcela do mundo a viver em democracia eleitoral ou liberal atingiu o ponto mais alto em 2000, quando o número estava em 54 por cento. Mas, como ilustra o infográfico no final do artigo, a Democracia sofreu drástico mergulho em 2019, caindo de 50% para apenas 32. Embora a fragilidade democrática também seja evidente noutros, este é o exemplo mais dramático no período avaliado.

A principal causa desta queda foi a Índia, em face da Freedom House para uma ‘democracia parcialmente livre’ e para uma ‘autocracia eleitoral’ – pelo Instituto V-Dem da Universidade de Gotemburgo – desde a vitória de Modi nas eleições de 2019 naquele país. A última queda foi justificada pelo suposto “aumento da pressão sobre organizações de direitos humanos, aumento da intimidação sobre académicos e jornalistas e uma onda de ataques fanáticos, incluindo linchamentos, direcionados a muçulmanos”, que culminaram numa “deterioração dos direitos políticos e das liberdades civis”.

A ascensão da Democracia foi uma das maiores conquistas humanas coletivas do século passado. Permitiu que grandes parcelas da população mundial vivessem em relativa liberdade e tivessem a capacidade de alterar a política e a sociedade nos seus países. Terá esta conquista atingido o pico?

Infographic: Fragile Democracy | Statista

Statista

Impala Instagram


RELACIONADOS