Polícias ameaçam manifestar-se fardados se MAI não abrir negociações

Polícias ameaçam manifestar-se fardados se MAI não abrir negociações

O Sindicato Nacional da Polícia (Sinapol) ameaçou hoje com uma manifestação de polícias fardados no final de janeiro de 2019 se até ao dia 15 desse mês o Ministério da Administração Interna (MAI) não iniciar negociações com os sindicatos.

Em causa, segundo o comunicado do Sinapol hoje divulgado, estão 12 anos de serviço ainda congelados que estes profissionais da polícia querem ver restituídos.

Se o MAI não abrir negociações nesse sentido até 15 de janeiro de 2019, como exigido e decidido por unanimidade hoje pela direção do Sinapol, terá uma manifestação de agentes fardados à sua porta, no Terreiro do Paço, em Lisboa, no final de janeiro, que pode vir a contar com o apoio de outras estruturas sindicais da PSP, “para de uma vez por todas, ter lugar uma manifestação que demonstre inequivocamente ao Governo e atores políticos, a força e unidade dos profissionais de polícia”.

A justificação para a possível manifestação de polícias fardados reside, segundo o sindicato, no facto de estes profissionais se sentirem “ignorados pelo Governo e outros atores políticos” no que diz respeito à resolução dos seus problemas laborais.

“É completamente inadmissível, e nenhum profissional de polícia pode aceitar, que se fale e se defenda a resolução de problemas laborais, nos corredores da Assembleia da República e nos gabinetes ministeriais, apenas de algumas profissões e se ignore por completo os direitos de trabalho dos que são os garantes da liberdade e da segurança pública”, lê-se no comunicado.

O Sinapol é o terceiro sindicato mais representativo da PSP.

IMA // HB

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Polícias ameaçam manifestar-se fardados se MAI não abrir negociações

O Sindicato Nacional da Polícia (Sinapol) ameaçou hoje com uma manifestação de polícias fardados no final de janeiro de 2019 se até ao dia 15 desse mês o Ministério da Administração Interna (MAI) não iniciar negociações com os sindicatos.