Adolescente desaparece de resort na Malásia. Polícia admite que pode tratar-se de crime

A polícia da Malásia admitiu hoje que o desaparecimento de uma rapariga inglesa de 15 anos de um ‘resort’ na Malásia pode ter sido crime e informou estar a analisar impressões digitais encontradas no local.

Adolescente desaparece de resort na Malásia. Polícia admite que pode tratar-se de crime

Adolescente desaparece de resort na Malásia. Polícia admite que pode tratar-se de crime

A polícia da Malásia admitiu hoje que o desaparecimento de uma rapariga inglesa de 15 anos de um ‘resort’ na Malásia pode ter sido crime e informou estar a analisar impressões digitais encontradas no local.

A polícia da Malásia admitiu hoje que o desaparecimento de uma rapariga inglesa de 15 anos de um resort na Malásia pode ter sido crime e informou estar a analisar impressões digitais encontradas no local. A polícia tinha dito anteriormente que não havia indícios de crime relativamente ao desaparecimento de Nora Anne Quoirin do eco-resort Dusun, no sul do estado de Negeri Sembilan.

A família de Nora Quoirin deu conta do desaparecimento da adolescente no domingo de manhã e disse acreditar que ela fora sequestrada.

O vice-chefe da polícia de Negeri Sembilan, Che Zakaria Othman, adiantou que uma equipa forense está a analisar as impressões digitais encontradas na casa de onde a rapariga desapareceu, mas escusou-se a dar mais detalhes.« Ainda assim, o vice-chefe da polícia esclareceu que era a janela da sala de estar do andar térreo que estava aberta, e não a do quarto, no andar de cima, onde a adolescente dormia com os dois irmãos.

Che Zakaria Othman não adiantou se a janela estava aberta do lado de fora ou de dentro, lembrando que a investigação está em curso.

Os pais estavam noutro quarto, também no andar de cima.

«Apesar de termos classificado este caso como ‘pessoa desaparecida’, não descartamos nenhuma possibilidade… a escala de investigação e de procura e resgate são muito grandes para um local pequeno como este e a investigação inclui a possibilidade de crime», afirmou numa conferência de imprensa hoje realizada.

O responsável da polícia explicou que está a ser ajudado por equipas da polícia federal, bem como dos departamentos forenses e de investigação criminal. A operação de resgate envolve mais de 200 pessoas, a trabalhar por turnos, e a polícia já pediu ajuda a quem possa ter informações, referiu.

«Ainda temos esperança e acreditamos que ela esteja na zona. Não há informações que indiquem que ela saiu desta área», acrescentou Che Zakaria Othman.

A família garantiu, no entanto, num comunicado divulgado na terça-feira, que não acredita que a rapariga tenha saído sozinha. «A família de Nora acredita que ela foi raptada», diz o comunicado.

«Estamos especialmente preocupados porque a Nora tem um atraso de desenvolvimento e não é como as outras adolescentes de 15 anos. Ela parece mais nova e não consegue cuidar de si mesma porque não entende o que está a acontecer», explicou a família.

Os pais de Nora Quoirin são um casal irlandês-francês que vive em Londres há cerca de 20 anos, de acordo com a instituição de caridade britânica que apoia pessoas com problemas no estrangeiro Lucie Blackman Trust.

A família chegou no sábado para uma estada de duas semanas no resort Dusun, localizado perto de uma reserva florestal a cerca de 63 quilómetros ao sul de Kuala Lumpur.

A polícia bloqueou o acesso ao ‘resort’ e expandiu a procura até ao leito do rio, no sopé do resort, admitindo a possibilidade de a rapariga ter tentado encontrar água. Aldeões locais e equipas policiais caninas também foram mobilizados para tentar encontrar Nora.

LEIA MAIS

Mulher perde bebé: Ordem diz que grávidas «saltam de hospital em hospital»

Marcelo Rebelo de Sousa promulga Estatuto do Cuidador Informal

Previsão do tempo para quinta-feira, 8 de agosto

 

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS