Pelo menos um morto no incêndio no sudeste de França

Pelo menos uma pessoa morreu no incêndio que atinge desde segunda-feira o maciço dos Mouros, sudeste de França, disseram hoje as autoridades, acrescentado que o fogo “não está controlado”.

Pelo menos um morto no incêndio no sudeste de França

Pelo menos um morto no incêndio no sudeste de França

Pelo menos uma pessoa morreu no incêndio que atinge desde segunda-feira o maciço dos Mouros, sudeste de França, disseram hoje as autoridades, acrescentado que o fogo “não está controlado”.

A pessoa que morreu é a primeira vítima do maior incêndio deste verão em França, que teve o seu início na tarde de segunda-feira e que ainda mobiliza 1.200 bombeiros na manhã de hoje.

O fogo começou no município de Gonfaron, onde há vários parques de campismo.

Até hoje de manhã, entre 15 a 20 moradores, bem como cinco bombeiros, também ficaram feridos.

O grande incêndio que atinge o maciço dos Mouros, a poucos quilómetros da costa francesa de Côte d’Azur, “não está controlado” e já atingiu cerca de 7.000 hectares de floresta mediterrânica, dos quais 5.000 foram destruídos pelo fogo.

O porta-voz dos bombeiros da região francesa de Var explicou, em declarações à rádio France Info, que 1.000 desses 5.000 hectares foram queimados durante a noite de terça-feira.

Das 10.000 pessoas que foram retiradas da área desde que foi declarado o incêndio, 7.000 pessoas tiveram que ser alojados na noite de terça-feira e hoje ainda não poderão retornar às suas casas ou áreas de ‘camping’.

O governo do departamento do Var, com capital em Toulon, insistiu que “as pessoas realojadas não devem regressar às suas casas ou aos campos de férias”.

A porta-voz do corpo de bombeiros destacou que, apesar da destruição significativa da massa florestal e do facto de pelo menos uma centena de casas terem sido afetadas, as consequências poderiam ter sido muito mais graves, especialmente em termos humanos.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, que passa férias em Fort Brégançon, a poucas dezenas de quilómetros do incêndio, foi na terça feira ao centro de controlo de bombeiros e lembrou que a França não teve este verão situações idênticas a outros países, nomeadamente Grécia, Turquia, Argélia ou Marrocos.

Macron sublinhou que embora fenómenos como este não sejam novos na região, quando há uma longa estiagem e ventos fortes, com o aquecimento global existe o risco de que sejam mais frequentes e ocorram em zonas do norte de França, mesmo ao norte do rio Loire, onde até agora não sucediam.

CSR // SB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS