Pelo menos 16 mortos no Paquistão em explosão de bomba num mercado de rua

Pelo menos 16 mortos no Paquistão em explosão de bomba num mercado de rua

Pelo menos 16 pessoas morreram e 30 ficaram feridas morreram no Paquistão na explosão de uma bomba num mercado de rua na cidade de Quetta, informaram as autoridades paquistanesas.

Pelo menos 16 pessoas morreram e 30 ficaram feridas morreram hoje no Paquistão na explosão de uma bomba num mercado de rua na cidade de Quetta, no sudoeste do país, informaram as autoridades paquistanesas. O chefe de polícia local, Abdur Razzaq Cheema, disse à agência de notícias Associated Press que a bomba explodiu perto de uma área residencial onde vivem muçulmanos da minoria xiita.

O número de mortos e feridos, que foram transportados para o hospital mais próximo, foi também confirmado à agência de notícias Efe pelo porta-voz da polícia de Quetta, Mohamed Aslam..

O ataque ainda não foi reivindicado por nenhum grupo extremista.

Quetta é a capital da província do Baluchistão, onde vários grupos rebeldes operam, incluindo os talibãs paquistaneses, ligados ao grupo extremista Estado Islâmico, cuja base se encontra do outro lado da fronteira, no Afeganistão.

Em 20 de março, pelo menos seis elementos das forças paramilitares paquistanesas morreram no sudoeste do Paquistão, num ataque dos talibãs a um posto de segurança na província do Baluchistão, anunciaram as autoridades locais.

Três dias antes, pelo menos três pessoas morreram e sete ficaram feridas num atentado à bomba contra um comboio que provocou o descarrilamento de várias carruagens, também na província do Baluchistão.

 

 

LEIA MAIS

Previsão do tempo para sábado, 13 de abril

Bolsonaro diz que o Brasil passou a votar na ONU de acordo com a Bíblia

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Pelo menos 16 mortos no Paquistão em explosão de bomba num mercado de rua

Pelo menos 16 pessoas morreram e 30 ficaram feridas morreram no Paquistão na explosão de uma bomba num mercado de rua na cidade de Quetta, informaram as autoridades paquistanesas.