Operação da Interpol detém 13 dos fugitivos mais procurados na América Latina

Uma operação coordenada pela Interpol na América Latina levou à detenção de 13 dos fugitivos latino-americanos mais procurados e que envolveu oito países da região, anunciou hoje a organização policial internacional.

Operação da Interpol detém 13 dos fugitivos mais procurados na América Latina

Operação da Interpol detém 13 dos fugitivos mais procurados na América Latina

Uma operação coordenada pela Interpol na América Latina levou à detenção de 13 dos fugitivos latino-americanos mais procurados e que envolveu oito países da região, anunciou hoje a organização policial internacional.

A detenção dos fugitivos, acusados de crimes como homicídios, sequestros ou violações, ocorreu entre 22 de fevereiro e 05 deste mês durante a “fase operativa” do processo, iniciado a 20 de novembro de 2020 e que decorreu no quadro do projeto El PAcCTO, estabelecido há vários anos e que permite uma colaboração permanente entre várias polícias.

Num comunicado, a Interpol destaca o caso de um homem procurado no Peru por exploração sexual de menores, detido pela Polícia Federal da Argentina.

Outra detenção destacada pela Interpol é a de um chefe de uma rede internacional de tráfico de droga que introduzira mais de duas toneladas de cocaína no Brasil e que foi capturado pela polícia boliviana em Santa Cruz.

Todos os detidos estavam integrados na “lista vermelha” da Interpol, em que a polícia internacional pede a colaboração das forças de segurança de todo o mundo para as respetivas localizações e detenções.

A operação foi a mais frutífera de sempre em termos de detenções realizadas no âmbito da rede de cooperação policial na América Latina, que contou com a colaboração das forças policiais da Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Equador, Panamá e Peru.

“Estes resultados só foram possíveis graças à rede permanente EL PAcCTO, criada há já bastante tempo entre as forças de segurança latino-americanas para apoiar na detenção de pessoas procuradas pela justiça”, afirmou Stephen Kavanagh, diretor executivo dos Serviços de Polícia da Interpol.

 

JSD // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS