ONU prorroga missão na República Democrática do Congo por mais um ano

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) prorrogou hoje a missão de paz da Organização na República Democrática do Congo (RDCongo) por mais um ano, mantendo o mesmo número de militares apesar da grave instabilidade no país.

ONU prorroga missão na República Democrática do Congo por mais um ano

ONU prorroga missão na República Democrática do Congo por mais um ano

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) prorrogou hoje a missão de paz da Organização na República Democrática do Congo (RDCongo) por mais um ano, mantendo o mesmo número de militares apesar da grave instabilidade no país.

Por unanimidade, os quinze países do Conselho de Segurança aprovaram uma resolução que estende o mandato da missão MONUSCO até 20 de dezembro de 2023 e mantém a autorização para o destacamento de até 13.500 soldados.

Nos últimos anos, as Nações Unidas tinham iniciado uma redução do número de efetivos como parte de um plano de transição para entregar mais responsabilidades às forças congolesas, mas desta vez os níveis mantêm-se num momento de grande tensão no leste da país.

O leste da RDCongo experienciou uma intensificação da violência este ano com o retorno às armas do Movimento 23 de Março (M23), um grupo rebelde que ocupa várias áreas e é acusado de cometer atrocidades contra a população civil.

Além disso, a MONUSCO tem sido alvo de vários protestos este ano nesta zona do país, acusada de ser incapaz de fazer face à violência, com numerosos grupos a exigirem a sua saída.

O mandato da missão tem três objetivos básicos: proteger a população civil, apoiar o desarmamento de grupos armados e contribuir para a reforma do setor de segurança na RDCongo, além de monitorizar a situação dos direitos humanos.

A ONU envia uma missão ao terreno desde 1999, embora inicialmente com outro nome, para contribuir para a estabilização do país, imerso num frágil processo de paz desde a segunda guerra no Congo (1998-2003).

Atualmente, a MONUSCO é uma das maiores operações de paz que as Nações Unidas possuem.

Paralelamente, o Conselho de Segurança aprovou hoje outra resolução que modifica o embargo de armas em vigor na RDCongo – cujo principal objetivo é dificultar o abastecimento a grupos armados – e que permitirá ao Governo do país adquirir equipamento militar sem ter que notificar previamente as Nações Unidas.

 

MYMM // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS