Nuno Pinto: «O linfoma, diagnosticado em dezembro, desapareceu»

O jogador do Vitória de Setúbal Nuno Pinto anunciou no Facebook que o linfoma, que lhe tinha sido diagnosticado em dezembro, e que o obrigou a fazer uma pausa na carreira, desapareceu.

Nuno Pinto: «O linfoma, diagnosticado em dezembro, desapareceu»

Nuno Pinto: «O linfoma, diagnosticado em dezembro, desapareceu»

O jogador do Vitória de Setúbal Nuno Pinto anunciou no Facebook que o linfoma, que lhe tinha sido diagnosticado em dezembro, e que o obrigou a fazer uma pausa na carreira, desapareceu.

O jogador do Vitória de Setúbal Nuno Pinto anunciou no Facebook que o linfoma, que lhe tinha sido diagnosticado em dezembro, desapareceu. O futebolista de 32 anos viu-se obrigado a fazer uma pausa na carreira quando descobriu a doença. «Brevemente voltarei a fazer o que mais gosto», revelou.

«É com enorme emoção, alegria que após cinco provas de fogo, a mais esperada notícia chegou. A batalha começou a ser derrotada. O Pet (exame de contraste) que fiz esta semana revelou que o linfoma desapareceu», escreveu Nuno Pinto no Facebook.

No entanto, o jogador terá de cumprir com os tratamentos agendados até ao dia 13 de junho. «Contudo, cumprirei os tratamentos. Resta-me agradecer a minha esposa, a força, o querer em me acompanhar constantemente e nunca me deixar cair. Brevemente voltarei a fazer o que mais gosto», acrescentou.

Nuno Pinto revelou, junto dos jogadores, equipa técnica, funcionários do clube e família, no dia 16 de dezembro no ano passado, que lhe tinha sido diagnosticado um linfoma.

Em Portugal, todos os anos são diagnosticados cerca de três mil casos de linfomas

Segundo o site Lusíadas, os linfomas são «um dos tipos de cancro mais comuns em Portugal, ocupando o nono lugar». Trata-se de um grupo de doenças malignas do sangue, caracterizadas pela proliferação descontrolada de linfócitos e de células de gânglios linfáticos, conduzindo ao aparecimento de células malignas capazes de invadir os tecidos do organismo.

Os linfomas podem ser classificadas como Hodgkin e não Hodgkin. «Este último grupo corresponde a 85% dos linfomas», lê-se na página. A origem da doença é ainda desconhecida, embora se tenham identificado algumas causas e fatores de risco.

LEIA MAIS
Helena Isabel sobre o passado de drogas do filho: «Ele percebeu que se estava a destruir»
Previsão do tempo para domingo, 10 de março

Impala Instagram


RELACIONADOS