Número de processos penais abertos pela Judiciária de Macau sobe 23,6% em 2021

A Polícia Judiciária (PJ) de Macau anunciou hoje ter aberto, no ano passado, 9.583 processos penais, dos quais 4.915 de inquérito e denúncia, num aumento de 23,6%, ou 937 processos, relativamente a 2021.

Número de processos penais abertos pela Judiciária de Macau sobe 23,6% em 2021

Número de processos penais abertos pela Judiciária de Macau sobe 23,6% em 2021

A Polícia Judiciária (PJ) de Macau anunciou hoje ter aberto, no ano passado, 9.583 processos penais, dos quais 4.915 de inquérito e denúncia, num aumento de 23,6%, ou 937 processos, relativamente a 2021.

De acordo com o relatório “Trabalho da PJ — instauração de processos, trabalhos de execução da lei e policiamento de proximidade em 2021”, 1.831 indivíduos foram apresentados ao Ministério Público (MP), o que representa um aumento de 6,5% em relação a 2020.

“Ao nível dos crimes graves, manteve-se ainda uma baixa taxa de ocorrência”, com três casos de homicídio e “seis de agressões graves à integridade física, causados principalmente por conflitos entre familiares e amigos”, indicou a PJ, em comunicado.

Em 2021, a PJ abriu 1.372 crimes relacionados com jogo, num aumento de 23,2% em termos anuais.

“Continuaremos a realizar avaliações de risco sobre o impacto das mudanças na indústria do jogo na situação da lei e da ordem e na estabilidade social, e a reforçar a cooperação com a Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos, as indústrias do jogo e da hotelaria para manter o ‘ambiente da lei e da ordem’ dentro e fora dos casinos”, referiu a PJ, no documento.

Em 2021, a PJ registou 31 casos de furto em residência, ou mais dois do que no ano anterior, num ligeiro aumento de 6,9%.

Em 25 destes casos, as autoridades policiais indicaram que os valores furtados rondaram quatro milhões de patacas (cerca de 443 mil euros).

Apesar de o número de casos de crimes graves ser ter mantido no ano passado semelhante ao registado em 2020, a PJ contabilizou um aumento significativo no número de “burlas e crimes informáticos”, desde o início da pandemia de covid-19 por a população recorrer cada vez mais à internet e ainda por o “‘modus operandi’ do crime informático e cibernético ser “cada vez mais complexo e baseado na tecnologia”.

Em 2021, foram instaurados 1.676 inquéritos de crime informático, o que corresponde a uma subida de 34,4% comparativamente com 2020, sendo uma subida de cerca de 2,5 vezes em relação a 2019, indicou a força policial.

No ano em análise, foram abertos 89 processos de investigação sobre casos de fraude telefónica, num aumento de 58 casos em relação a 2020 (31 casos).

Entre 2020 e 2021, mais de metade das fraudes telefónicas envolveram esquemas de “imitação de funcionários governamentais”, e o número de casos de “adivinha de quem sou” aumentou de 12,9% para 27% em 2021, indicou.

“Cerca de 60% das vítimas que relataram perdas tinham 34 anos ou menos” acrescentou a PJ, dando conta ainda de 64 casos de chantagem por ‘chat’ de nus.

Em termos de tráfico de droga, a polícia abriu 61 casos, um aumento de quatro casos em termos anuais.

No relatório, a PJ destacou a adesão ao “conceito global de segurança nacional”, através de “esforços abrangentes” para salvaguardar a segurança nacional da China, trabalhar em conjunto para reforçar a “linha de defesa” antipandémica e acelerar o desenvolvimento da segurança cibernética.

JYW // JMC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS