Novos pontos de entrada de ajuda no Iémen são precisos para evitar fome

O Programa Alimentar Mundial (PAM) alertou hoje num comunicado para a necessidade de novos pontos de entrada da ajuda humanitária no Iémen para evitar a fome no país em guerra.

Novos pontos de entrada de ajuda no Iémen são precisos para evitar fome

Novos pontos de entrada de ajuda no Iémen são precisos para evitar fome

O Programa Alimentar Mundial (PAM) alertou hoje num comunicado para a necessidade de novos pontos de entrada da ajuda humanitária no Iémen para evitar a fome no país em guerra.

Dados da ONU indicam que aumentou para os 8,4 milhões (numa população de 29 milhões) o número de iemenitas em risco de fome, a que se poderão juntar mais 3,5 milhões devido à desvalorização da moeda.

Segundo a organização não-governamental Save the Children, 5,2 milhões de crianças iemenitas estão em risco de fome devido ao recrudescimento do conflito nas últimas semanas e ao aumento do preço dos alimentos.

As forças da coligação internacional liderada pela Arábia Saudita e do Governo do presidente Abd Rabbo Mansur Hadi retomaram na segunda-feira a ofensiva contra a cidade de Hodeida, o principal porto do país e porta de entrada de 80% da ajuda humanitária, sob controlo dos rebeldes Huthis, ajudados pelo Irão.

A Save the Children sublinhou haver um “risco real” de o porto ser danificado ou fechado.

O PAM avisa desde outubro de 2017 que, além dos combates e dos ataques aéreos, os alimentos se tornaram “uma arma de guerra” no Iémen.

O conflito no Iémen, iniciado em meados de 2014, já causou mais de 10.000 mortos e 56.000 feridos, bem como “a pior crise humanitária no mundo”, segundo a ONU.

PAL // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS