Namorados na adolescência reencontram-se e casam 70 anos depois

Fred Paul e Florence Harvey eram adolescentes quando começaram a namorar. Apesar do forte amor que os unia, o casal acabou por se separar por questões profissionais.

Namorados na adolescência reencontram-se e casam 70 anos depois

Fred Paul e Florence Harvey eram adolescentes quando começaram a namorar. Apesar do forte amor que os unia, o casal acabou por se separar por questões profissionais.

Fred Paul e Florence Harvey eram adolescentes quando começaram a namorar. Conheceram-se em Wandsworth, no Canadá, local onde ambos residiam.

O casal conheceu-se quando Fred tinha 16 anos e Florence, três anos mais nova, 13. Durante dois anos, passaram muitos dias inteiros juntos, simplesmente a passear, a brincar ou a ir a concertos. Todas as noites o rapaz acendia a luz da varanda antes de se ir deitar. Esta era a maneira de mostrar à sua mais-que-tudo, que vivia do outro lado da rua, o seu amor por ela e também de lhe desejar boa noite, mostrando que estava presente.

Apesar do forte amor que os unia, quando Paul atingiu a maioridade, a vida profissional separou-os. O adolescente mudou-se em trabalho para Toronto e, meses mais tarde, também Harvey mudou de cidade. Os meses tornaram-se em anos e cada um seguiu a sua vida, casaram com outras pessoas e constituíram família.

O reencontro após quase 70 anos

Em 2017, Harvey perdeu o marido, Len, para o cancro. “Um casamento feliz” de 57 anos e que resultou em cinco filhos. Dois anos depois, também Paul perdeu a sua esposa por questões de saúde. Helen sofria de vários problemas de saúde, incluindo demência. O casal teve dois filhos.

Quando a mulher tomou conhecimento da perda de Paul, ligou-lhe para consolá-lo e ajudá-lo a ultrapassar aquele momento tão difícil, que ela própria já havia experienciado recentemente.

Nessa conversa, que teve lugar a 15 de fevereiro, um dia depois do Dia de São Valentim, os dois falaram sobre as suas vidas, os filhos e netos e relembraram as lembranças que guardavam um do outro.

“Nunca pensei que fosse passar disso”, explicou Harvey, agora com 81 anos. “Passámos de conversar uma vez por semana, para duas e três vezes, todos os dias e durante horas. Apesar de não termos visto durante todos aqueles anos, a nossa ligação manteve-se”, acrescentou.

Alguns meses mais tarde, Paul foi surpreendido no seu aniversário. Harvey viajou até Toronto para, finalmente, se reencontrarem após quase sete décadas afastados. “Quando descobri que ela estava na cidade e vinha ter comigo eram 22h30. ‘Saltei’ da cama, vesti-me e escrevi na rua ‘Bem-vinda, Florence’. Quando ela chegou, fui ao carro, dei-lhe um abraço e um beijo. Soube imediatamente que ela tinha conquistado o meu coração “, atirou.

Apenas três dias após o reencontro, estavam prontos casar. As famílias questionaram a rapidez de tudo isto, mas Paul e Harvey não tinham dúvidas de que queriam passar o resto das suas vidas juntos. “Ela foi o meu primeiro amor. A minha primeira namorada e o meu primeiro amor verdadeiro“, disse Paul, agora com 84 anos, à CNN.

O casamento e planos de futuro

A 8 de agosto, Paul e Harvey trocaram votos de casamento à frente de familiares e amigos. A cerimónia teve lugar em Ontário, Canadá. Por culpa da pandemia provocada pelo novo coronavírus, a lista de convidados foi muito restrita.

“Foste o primeiro rapaz a acompanhar-me até casa e vais ser o último homem“, disse Harvey.

O casamento foi conduzido pelo líder da igreja, Paul Ivany, que explica que esta foi “a cerimónia mais comovente e profunda” na qual já participou. “Havia lágrimas nos olhos de todos os presentes. Sentia-se que estávamos a assistir um milagre ao vivo, a testemunhar uma história de amor inimaginável”, acrescentou.

Para os próximos tempos, o casal tem planeado visitar alguns dos locais da adolescência e onde esta história de amor teve início.

LEIA MAIS
Irmãos adotados por dois pais passam primeiro Natal em família

Impala Instagram


RELACIONADOS