Mulher que desfigurou e matou marido na cama sai em liberdade

A Polícia Judiciária deteve a mulher de João Luciano Teixeira Magalhães, de 63 anos que, em dezembro, do ano passado, foi encontrado morto em casa com sinais de grande violência. A face da vítima estava completamente desfigurada e o crânio desfeito por pancadas com um objeto contundente.

Mulher que desfigurou e matou marido na cama sai em liberdade

Mulher que desfigurou e matou marido na cama sai em liberdade

A Polícia Judiciária deteve a mulher de João Luciano Teixeira Magalhães, de 63 anos que, em dezembro, do ano passado, foi encontrado morto em casa com sinais de grande violência. A face da vítima estava completamente desfigurada e o crânio desfeito por pancadas com um objeto contundente.

A Polícia Judiciária (PJ) deteve a mulher de João Luciano Teixeira Magalhães, de 63 anos que, em dezembro, do ano passado, foi encontrado morto em casa com sinais de grande violência, em Gandarela, Celorico de Basto. A mulher, de 61 anos, é a principal suspeita da autoria do crime, que terá ficado a dever-se a ciúmes, mas não confessou o crime e foi libertada por um juiz de instrução nesta quarta-feira, 30 de junho. Fica sujeita à medida de coação de termo de identidade e residência.

“A vítima foi agredida, de forma repetida e com violência, na cabeça, face e pescoço, com um objeto contundente”, informou esta quarta-feira, após a detenção, a PJ. No dia do crime, João Luciano tinha saído de madrugada para caçar em Trás-os-Montes e quando regressou a casa foi para uma divisão do rés-do-chão da residência, onde dormia habitualmente. O casal já não vivia junto, apesar de morarem no mesmo local. Ao final do dia, foi a esposa quem deu o alerta do seu desaparecimento.

Vítima ficou com cara desfigurada e crânio desfeito

Depois, terá ligado a amigos de Luciano, pedindo ajuda para o encontrar, e foram estes que deram com ele, deitado na cama e coberto com um lençol. A divisão estava fechada. Dentro, o cenário era de horror. A face da vítima estava completamente desfigurada e o crânio desfeito por pancadas com um objeto contundente, provavelmente um machado ou semelhante, que ainda não foi recuperado.

A PJ investigou durante estes meses e recolheu elementos de prova suficientes para constatar várias contradições da versão que a mulher apresentara desde o início e para fundamentar a ordem de detenção emitida pelo Ministério Público e que o juiz de instrução não manteve após o interrogatório. Quanto à motivação, segundo informações recolhidas pelo JN, tudo apontará para que se tenha tratado de um crime passional.

LEIA AINDA
Estudante de engenharia detido por abusar sexualmente de criança
Tenta violar filha de amigos durante jogo da Seleção. Gritos da menina alertaram pais
Os gritos da menina chamaram a atenção do casal que acorreu ao quarto e encontrou a menina já seminua com o predador sexual ao lado. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS