Morre ao tentar proteger bebé e mãe de companheiro agressor

Jorge Mendes, de 49 anos, morreu depois de ter sido agredido quando tentava proteger uma mulher e o filho desta, de cinco meses, do companheiro agressor junto a um restaurante em Cantanhede.

Morre ao tentar proteger bebé e mãe de companheiro agressor

Morre ao tentar proteger bebé e mãe de companheiro agressor

Jorge Mendes, de 49 anos, morreu depois de ter sido agredido quando tentava proteger uma mulher e o filho desta, de cinco meses, do companheiro agressor junto a um restaurante em Cantanhede.

Jorge Mendes, de 49 anos, morreu depois de ter sido agredido quando tentava proteger uma mulher e o filho desta, de cinco meses, do companheiro agressor junto a um restaurante em Cantanhede.

As testemunhas que, a 23 de novembro de 2019, assistiram à cena de violência e ontem prestaram depoimento em tribunal apresentaram uma versão diferente.

“Vi o senhor a agredir a senhora. Puxava-lhe os cabelos e dava-lhe murros. Ela tinha um bebé e pedia para chamarem a polícia“, contou uma colaboradora do restaurante.

As testemunhas referem que Jorge Mendes apenas interveio para proteger a mulher e o bebé. O murro desferido pelo arguido levou-o a cair no chão. Foi para casa, mas no dia seguinte sentiu-se mal. Morreu oito dias depois no hospital.

Mulher nega ter sido agredida pelo companheiro

Nesta terça-feira, 9 de março, a mulher que tentou ajudar negou ter sido agredida pelo então companheiro, que está a ser julgado por ofensa à integridade física grave agravada pelo resultado da morte.

Alega que apenas que tiveram uma “pequena discussão” e que Jorge Mendes e os amigos é que “começaram a meter-se”. A mulher afirmou que o companheiro apenas “se defendeu e deu-lhe um murro“.

O arguido, João Almeida, de 54 anos, tem a mesma versão: “Ele veio contra mim e eu reagi. Dei-lhe um murro e ele caiu no chão”. Negou ter agredido a mulher.

LEIA AINDA
Pai e filho condenados por homicídio e profanação de cadáver
Pai e filho condenados por homicídio e profanação de cadáver
Ilídio Gomes, de 54 anos, e o filho Santiago, de 19, foram condenados a 24 e 10 anos de prisão, respetivamente. Após matarem Pedro Monteiro, queimaram o cadáver. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS