Moçambique/Ataques: ONG angaria fundos em Portugal para deslocados de Cabo Delgado

A Helpo, organização não-governamental portuguesa, está a realizar uma campanha em Portugal de angariação de fundos para apoiar mulheres grávidas e crianças deslocadas devido à violência armada em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

Moçambique/Ataques: ONG angaria fundos em Portugal para deslocados de Cabo Delgado

Moçambique/Ataques: ONG angaria fundos em Portugal para deslocados de Cabo Delgado

A Helpo, organização não-governamental portuguesa, está a realizar uma campanha em Portugal de angariação de fundos para apoiar mulheres grávidas e crianças deslocadas devido à violência armada em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.

“Estamos a trabalhar diretamente com as comunidades, acreditamos que esta pequena ajuda pode minimizar o problema destas famílias”, disse hoje à Lusa Carlos Almeida, coordenador da Helpo em Moçambique.

A capital provincial (Pemba) tem sido o principal refúgio para as pessoas que procuram abrigo e segurança em Cabo Delgado, mas há quem prefira fugir para outros lugares, incluindo Nampula, província vizinha.

Os fundos arrecadados na campanha, que arrancou no início deste mês, são convertidos em ‘kits’ compostos por alimentos, sabão, baldes, pratos, bacias e copos, produtos e materiais que já estão a ser distribuídos a deslocados em Nampula.

“Até este momento, conseguimos arrecadar cerca de oito mil euros”, avançou Carlos Almeida.

A ajuda da Helpo compreende também o rastreio e acompanhamento nutricional de mães grávidas e lactentes e crianças até aos 2 anos.

Numa segunda fase, a organização humanitária pretende contribuir para a reintegração escolar de crianças, que maioritariamente perderam o material escolar fugindo da violência armada naquela província do norte de Moçambique.

“Muitas crianças não têm possibilidade de estudar condignamente, elas estão inscritas, mas não têm material. Elas vieram sem nada das suas localidades de origem e estão a necessitar de muita ajuda”, referiu.

O coordenador da ONG falava à Lusa enquanto fazia a distribuição de ‘kits’ em Namialo, na província de Nampula, a uma família de 17 pessoas, todas deslocadas devido à violência armada em Cabo Delgado.

“Esta família foi identificada porque tem um bebé de meses e que perdeu a mãe vítima da violência e agora está sob cuidados da sua avó. Eles vieram para aqui só com a roupa do corpo”, detalhou Carlos Almeida.

A Helpo é uma organização não-governamental para o desenvolvimento, que atua desde 2008 nas áreas de educação e nutrição, prestando apoio às populações mais vulneráveis.

Em Cabo Delgado, região onde avança o maior investimento de um projeto de gás natural em África (liderado pela Total), os ataques de grupos armados, que eclodiram em 2017 em Mocímboa da Praia, já provocaram, pelo menos, a morte de 1.059 pessoas, e algumas das ações dos grupos têm sido reivindicadas pelo grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico.

De acordo com as Nações Unidas, a violência armada nesta província do norte de Moçambique forçou à fuga de 250.000 pessoas de distritos afetados pela insegurança, mais a norte da província.

EYAC // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS