Ministério Público abre inquérito sobre insultos a futebolista Marega

Ministério Público instaura inquérito relacionado com cânticos e insultos racistas dirigidos a Marega no Guimarães-FC Porto para o campeonato.

Ministério Público abre inquérito sobre insultos a futebolista Marega

Ministério Público abre inquérito sobre insultos a futebolista Marega

Ministério Público instaura inquérito relacionado com cânticos e insultos racistas dirigidos a Marega no Guimarães-FC Porto para o campeonato.

O Ministério Público instaurou um inquérito relacionado com cânticos e insultos racistas dirigidos no domingo ao futebolista Moussa Marega no jogo Guimarães-FC Porto para o campeonato nacional, informou hoje a Procuradoria-Geral da República (PGR). «Confirma-se a instauração de um inquérito. O mesmo encontra-se em investigação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Guimarães», indica resposta da PGR enviada à agência Lusa sobre o caso registado no jogo de domingo. O esclarecimento da PGR surge no mesmo dia em que o diretor nacional da PSP anunciou que está analisar as imagens de videovigilância para que «rapidamente se consiga identificar o aparente elevado número de pessoas que participaram nos cânticos racistas» ao futebolista Marega, do FC Porto.

LEIA DEPOIS
OFICIAL | Iker Casillas abandona o FC Porto mas não se afasta do futebol

Task force da PSP analisa imagens de ofensas a Marega

«Temos uma task force a fazer isso [analisar as imagens de videovigilância] a tempo inteiro para que rapidamente consigamos identificar o aparente elevado número de pessoas que participaram nesses cânticos racistas», disse hoje, também à agência Lusa, o diretor nacional da PSP, superintendente-chefe Magina da Silva, à margem da tomada de posse do número dois da Polícia e do comandante da Unidade Especial de Polícia (UEP).

PSP está a identificar «todas as pessoas» que se encontravam na bancada

Também o secretario de Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, que presidiu à cerimónia de tomada de posse do diretor nacional adjunto para a Unidade Orgânica de Operações e Segurança (UOOS) e do comandante da UEP, considerou «uma situação intolerável» o que se passou no domingo no estádio do Guimarães. «A PSP está a fazer a identificação de todas as pessoas que se encontravam naquela bancada para tentá-las levar à justiça, seja desportiva, seja a justiça criminal. É esse o trabalho que está a ser feito e esperamos chegar a bom porto e depois as autoridades judiciárias decidiram em conformidade», informou Antero Luís.

LEIA MAIS
Vitória de Guimarães promete averiguar atos racistas no jogo com FC Porto

Impala Instagram


RELACIONADOS