Mais de 1.000 operacionais combatiam 17 fogos rurais às 16:15

Mais de mil bombeiros estão envolvidos hoje à tarde no combate a 17 incêndios rurais, sendo um fogo que lavra no concelho de Oliveira de Frades, distrito de Viseu, aquele que mobiliza mais meios de socorro.

Mais de 1.000 operacionais combatiam 17 fogos rurais às 16:15

Mais de 1.000 operacionais combatiam 17 fogos rurais às 16:15

Mais de mil bombeiros estão envolvidos hoje à tarde no combate a 17 incêndios rurais, sendo um fogo que lavra no concelho de Oliveira de Frades, distrito de Viseu, aquele que mobiliza mais meios de socorro.

De acordo com a informação disponível no ‘site’ da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), às 16:15, 1.084 operacionais, apoiados por 297 viaturas e 27 aeronaves, combatiam 17 incêndios em vários pontos do país, sendo o distrito de Viseu aquele com mais situações críticas.

Foi neste distrito que deflagrou o incêndio que esta tarde concentra mais meios, numa zona de mato na localidade de Antelas, concelho de Oliveira de Frades, que estava a ser combatido por 311 elementos das forças de segurança e socorro, apoiados por 93 viaturas e 10 meios aéreos.

Um bombeiro morreu enquanto combatia este incêndio, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro.

O bombeiro, que estava desaparecido desde o início da tarde, era da corporação de Oliveira de Frades, disse a mesma fonte.

No mesmo distrito, lavra um fogo em zona de mato na localidade de Cujo, concelho de Castro Daire, que mobilizava àquela hora 259 operacionais, auxiliados por 93 viaturas e quatro meios aéreos.

Mais a sul, no distrito de Leiria, continua a lavrar um incêndio que deflagrou no domingo na freguesia de Serro Ventoso, concelho de Porto de Mós, que estava às 16:15 a ser combatido por 178 operacionais, apoiados por 53 viaturas e quatro meios aéreos.

No distrito de Aveiro, um incêndio que deflagrou pelas 15:10 numa zona florestal no concelho de Albergaria-a-Velha mobilizava 151 bombeiros, 39 viaturas e cinco meios aéreos.

Cerca de uma centena de concelhos de 14 distritos de Portugal continental apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou em risco máximo de incêndio cerca de uma centena de concelhos dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real, Bragança, Aveiro, Viseu, Coimbra, Leiria, Guarda, Castelo Branco, Santarém, Portalegre e Faro.

O instituto colocou ainda em risco muito elevado e elevado de incêndio vários concelhos de todos os distritos (18) de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de reduzido a máximo.

Os cálculos são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

No domingo, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) alertou para um aumento “muito grande” do risco de incêndio até às 23:59 de terça-feira em todo o continente português, em especial a norte do rio Tejo.

Em conferência de imprensa, a secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, declarou a situação de alerta para 14 distritos a norte do Tejo.

A medida abrange os distritos de Aveiro, Braga, Bragança, Portalegre, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Leiria, Lisboa, Porto, Santarém, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

FAC (DD/SSM) // ROC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS