Mãe adotiva critica filho por estar sempre ao computador e acaba esfaqueada

Mãe adotiva refugiou-se na cozinha, mas o filho seguiu-a, muniu-se de “duas facas de cozinha” e desferiu-lhe “diversos golpes”, acusa o Ministério Público.

Mãe adotiva critica filho por estar sempre ao computador e acaba esfaqueada

Mãe adotiva critica filho por estar sempre ao computador e acaba esfaqueada

Mãe adotiva refugiou-se na cozinha, mas o filho seguiu-a, muniu-se de “duas facas de cozinha” e desferiu-lhe “diversos golpes”, acusa o Ministério Público.

O Ministério Público (MP) acusou de homicídio qualificado o jovem de 24 anos que matou a mãe adotiva, de 60. De acordo com a acusação do MP, Lucas Baltazar desferiu “20 golpes com arma branca”, no Seixal, em novembro de 2020. A vítima e o agressor “envolveram-se numa discussão e quando Tereza Paulo se sentou no sofá da sala da casa foi atacada. A mulher “tentou fugir pela janela – um rés do chão –, mas foi atingida nas costas com um x-ato.

Depois de assassinar a mãe adotiva, tomou banho e fugiu pela janela

Tentou refugiar-se na cozinha, mas o filho adotivo seguiu-a, muniu-se de “duas facas de cozinha” e desferiu “diversos golpes na vítima”, que acabou por morrer logo naquele momento. Para evitar que o pai adotivo entrasse na habitação, Lucas trancou a porta e barricou-se “com móveis e eletrodomésticos”. Depois, “tomou banho, deixou as roupas que usava no quarto e saiu pela janela”.

GNR ‘caça’ homicida a deambular numa rua de Paio Pires

O marido da vítima chegou do trabalho horas depois e, depois de conseguir abrir a porta, “deparou-se com o corpo da mulher prostrado na cozinha”. A GNR iniciou buscas de imediato e foi informada de um homem a deambular numa rua de Paio Pires. Após a captura, entregou o homicida à Polícia Judiciária. Lucas foi presente a juiz e ficou em prisão preventiva. Na origem da discussão terá estado a falta de ocupação Lucas, que “passava os dias ao computador e era repreendido constantemente pela mãe”, que queria que ele “saísse de casa e arranjasse trabalho e amigos”.

LEIA AGORA
Adolescente matou e mutilou avós por causa de um carro arrisca pena máxima
Adolescente matou e mutilou avós por causa de um carro arrisca pena máxima
Ministério Público pede 25 anos de cadeia, pena máxima permitida pela Lei portuguesa, para o adolescente de 17 anos que esfaqueou, mutilou e fotografou os avós depois de lhe ser negado usar o carro deles. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS